versão 8.1

Pages: (3) 1 2 3  ( Go to first unread post )
responder
novo tópico
fazer enquete

 ATO 3 - A Guerra das Sombras
Angelique
 Posted: Oct 26 2017, 06:15 PM
citar


Angelique




355 posts

Ficha

Angelique is Offline

Narrador




O esforço de Bonifácio fora facilmente aceito pela dupla que desconfiava de suas intenções, surpreendendo até mesmo Isaack, que agora via o potencial combativo do loiro, que não se segurou antes de quebrar e matar aqueles que poderiam até mesmo serem seus antigos companheiros. Seria apenas cena para ganhar a confiança deles? Tal ideia nem ao menos passou pela mente dos ruivos, satisfeitos com como as coisas estavam indo.

Do lado de dentro, Raamar preferia desistir de uma briga, visto que em território inimigo e lotado destes, nem ao menos a força de Dixon era possível para retirar aos dois em segurança dali. Em um movimento rápido (e estalando a musculatura fatigada no processo), saltou e deu um soco no queixo de Mondor, que de início não teve o efeito desejado, porém seus pelos pareciam espinhos no que descarregaram uma pequena dose elétrica em local tão próximo dos olhos que o fizera recuar a cabeça, não esperando que o chacal ainda tivesse tal excesso de estática carregada no corpo.

Colocando agora as patas traseiras no peito do regente, ele usou de trampolim para então saltar em direção a uma janela que havia próxima de si, utilizando do Soru para aumentar sua velocidade e distância, realmente empurrando o inimigo contra o chão, porém o seu corpo era tão resistente que nem ao menos se moveu, sendo absorvido o impacto em seu peitoral como um grande amortecedor e ter uma base sólida era ainda melhor para o salto de fé.

Porém recebeu uma pedrada na testa.

Kyoko estava preparada para invadir, sendo ainda cautelosa a ponto de evitar a porta da frente, transcorreu a lateral do prédio e jogou uma pedra pesada na janela, o que chamou a atenção de todos lá dentro, porém, quem recebeu o golpe fora justamente o mink que ela queria salvar, mesmo que não tivesse visto, ainda era uma ocasião bem constrangedora.

Com a atenção de quem quer que estivesse lá dentro e ainda, mesmo que não houvesse uma tocaia, usaria de seu molotov para limpar caminho para que então fizesse sua entrada com o chicote, servindo como uma útil corda, porém muito mais resistente e com melhores proporções de combate.

Isaack agora usava da distração da janela para fazer sua entrada na mansão, pela porta da frente. O que poderia dar errado?

Assim que abriu a porta, uma saraivada de tiros se iniciou, acertando-lhe a parte direita do corpo, tendo diversos tiros nas mãos, antebraço, braço, ombro e alguns de raspão na coxa. Por reflexo logo desistiu da ideia de entrar e pegou cobertura com a grande porta de madeira, porém Pinkerton tinha um presente para ele: o lança granadas.

Um tiro fora feito muito alto, fazendo um barulho ensurdecedor e zunindo até em direção das carroças não muito longe do ruivo, explodindo-as com tamanha facilidade que não sobrou muito para ser atirado aos ares, exceto por uma enorme explosão negra e laranja que queimava a pele de Vicenzo, protegido apenas por suas vestes. O impacto com o vento então o empurrou contra a porta, esta que se mostrava resistente aos tiros que ao súbito paravam por uma força maior.

A garota não hesitou em jogar a bomba caseira pela janela e logo uma segunda explosão tinha início, matando um pequeno punhado de entrada, mas o seu terror mesmo era o como se alastrava pelo local. Móveis, quadros, vasos de plantas, qualquer coisa inflamável logo virava combustível e isso não se limitava a objetos inanimados, pois logo pessoal corriam pelo local, tanto tentando apagar as chamas (que teimosamente, como uma criança birrenta, só aumentava seu estrago, ignorando qualquer tentativa) quanto fugindo delas. O hall era largo e comprido, logo, as chamas se concentraram mais próximas às escadas de Mondor e consumiam até metade do local, deixando livre a porta onde o companheiro dela se abrigava. O maior problema no entanto era a fumaça, que como era um local fechado, ela se acumulava e deixava intragável de se permanecer.


- Raamar! - Gritava Mondor irado pela afronta que recebia em sua própria casa. Seu berro era tão potente que parecia um rugido de leão, vibrando nas paredes e chegando a empurrar as nuvens de fumaça. Ele soqueava os degraus e a parede, expelindo um pouco da raiva que sentia, retirando logo em seguida a parte de cima de suas vestes e cobrindo a boca e as narinas, começando a correr na parte traseira, por onde vieram.

Guillerme, não confiante de que Raamar houvera morrido após a pedrada e caído próximo às chamas, ia até lá em pequenos rolamentos com a parte de cima do terno cobrindo o fogo, sempre em giros para afastar as labaredas de perto de si e presenciando o mink deitado ao chão, área em que não havia absolutamente nada para queimar além do ar em si, era a oportunidade perfeita para finalizar com a vida dele sem deixar dúvida alguma. Pegou sua pistola na cintura e apontou para o pequeno que parecia descansar, mas estava apenas descansando um pouco, retomando as forças enquanto sentia que a pedrada de Kyoko houvera salvado sua vida de alguma forma, pois ao invés de seus pelos terem virado como palha na fogueira, o sangue do ferimento em sua testa tivera banhado levemente a pelagem, o suficiente para que ele apenas sofresse queimaduras superficiais em suas pontas.

O caso era que, após receber o golpe da amiga, houvera perdido o pouco de consciência que ainda lhe restava e assim que caiu, adormeceu com facilidade, mas não muito além, fora acordado ao sobressalto pelo grito de Mondor. Em termos naturais, era como se um predador maior e mais perigoso o estivesse procurando. Não sabia onde ele estava, mas certamente vinha para si e assim que fosse encontrado, suas chances de sobrevivência eram nulas. Todavia, assim que abrira os olhos, simplesmente avistou o Primo mais baixo apontando-lhe uma arma enquanto averiguava se ele estava mesmo morto.

A garota agora prendia o seu chicote na janela quebrada e saltava até lá e via o estrago que houvera feito. Não havia chances de que lhe apontassem uma arma, visto que todos os presentes se preocupavam em manter suas vidas. Não havia sinal algum de Raamar, porém tinha a informação valiosa de que eram esperados e possivelmente as carroças estivessem vazias e ido apenas um punhado ou apenas os cocheiros para o porto. Notou que agora um segundo chicote vinha em sua direção, porém errava o alvo, acertando mais acima e assim como o seu, ele se prendia lá e içava um homem com a face toda cortada, parando ao lado dela no pequeno vão da janela, de pé e se segurando.


- É incrível como essa era justamente a minha rota de fuga e encontro uma gatinha no caminho... Poderia lhe oferecer um drink, mas o momento não nos permitiria apreciar a presença um do outro. - Ele puxava de volta a ponta de sua arma e estando próximo demais dela para iniciar um confronto ali, simplesmente saltava para fora da mansão, de costas e jogando seu chicote em direção ao ventre de Kyoko, a puxando para si.

Não estando em uma situação favorável, Isaack sangrava bastante pelos tiros que houvera recebido e tivera tempo o suficiente para fazer qualquer coisa após Kyoko ter explodido em chamas o interior da mansão e obrigado os ratos a saírem do ninho. Abrindo a porta em uma nuvem de fumaça vinha Pinkerton com sua aterrorizante arma em mãos, procurando o corpo do mágico pelas escadas ou algum outro vestígio dele.


- Hehe! Não esperava vê-lo tão cedo. É assim que retribui uma gentileza? - Tinha a mesma forma sarcástica de falar, mas as coincidências paravam por aí.

Estando com um braço inutilizado e sangrando, Bonny vinha para o socorro do agente, porém Pinkerton iniciava um tiroteio em direção do loiro, que no reflexo tivera de saltar para o lado de qualquer jeito, basicamente se jogando contra o solo como se aquilo fosse uma piscina, esfolando-se um pouco. Estava agora atrás de um banco de mármore, demorando um pouco para iniciar sua corrida para mais perto de Isaack, o que se mostrava uma péssima ideia, portanto apenas recuou para procurar um abrigo melhor enquanto o da metralhadora mirava em alvos tão distantes, precisando de um pouco mais de proximidade para tal. Quem mais próximo e mais suscetível a morte do que o mágico? Vinha a passos lentos e cautelosos, com a boca da arma apontada e com o dedo do gatilho firme, apenas esperando que algo entrasse em sua mira.

--------------------
user posted image
mp
^
Raamar
 Posted: Oct 27 2017, 09:57 AM
citar


Raamar




759 posts

Ficha

Raamar is Offline

Programador




ATO 3 - A Guerra das Sombras


O pequeno chacal estava já empolgado acreditando que conseguiria de fato escapar daquela luta, ao menos por tempo suficiente para seu corpo se recuperar, porém nada conseguiu fazer quando uma simples pedra entrou em seu caminho, literalmente. Antes que o pequeno conseguisse alcançar o vitral, o mesmo era estilhaçado por esta mesma pedra que acertara-lhe em cheio a face, levando-o ao chão já desacordado, mais por conta do estado de sua mente do que pelo dano em si.

Desfrutava de um belo momento de paz e sossego, aninhado no chão como um pequeno filhote de chacal, ou seja, no melhor estilo enrolado igual uma bola de pelos. Sua mente enfim encontrava paz, levando o pequeno a perceber o quanto sua cabeça doia e latejava pelo estado mental ao qual fora submetido. Os músculos de seu corpo também relaxavam e com isso começavam a ficar doloridos pelo excesso de esforço.

Paraciam horas de sono fluído e desprovido de sonhos, ainda que na verdade fossem segundos. Chegara até mesmo a deixar uma pequena poça de baba no chão.

Seu nome exclamado por Mondor na forma de um rugido lhe tirou quase que instantaneamente deste sono gostoso, levando-o a acordar como um pequeno animal assustado, esquecendo temporariamente que não era um animal por completo. Levantou de sobressalto, ficando com as costas arqueadas e apoiado sobre as quatro patas, ou melhor, sobre as unhas de cada uma das patas. Os pelos de sua coluna estavam completamente em pé, assim como os pelos de sua cauda.

As iris do chacal estavam completamente dilatadas, demonstrando o susto que levara.

Sua mente ainda estava um pouco anuviada do breve cochilo, por isso demorou um pouco para absorver o que se passava. Aos poucos foi lembrando onde estava e substituindo o susto por um estado de alerta. Captava facilmente o cheiro de fumaça e percebia que forte labaredas consumiam boa parte da sala, ainda que não entendesse como tudo isso havia começado. "Caramba, por quanto tempo eu apaguei?"

Seus instintos gritavam um silencioso alerta, um pouco camuflado por conta do latejar em sua mente que agora voltava e deixava bem clara sua presença, não havia percebido antes, porém agora que havia ficado um tempo, mesmo que breve, livre do latejar conseguia identificar claramente sua presença. Aquilo realmente incomodava.

Antes que pudesse de fato analisar a situação atual da sala com calma e identificar a origem do incêndio, se deparou com um dos Primos avançando contra si. Revoltado por ter sido acordado de seu sonho restaurador, e pela volta daquele pulsar irritante em sua mente, avançou sem hêsito ou mesmo piedade. -Não. Atrapalhe. Meu. Sono. De. NOVO!!!!! - Como não via mais ninguém, por conta da fumaça, associava aquela pessoa a sua frente com o grito que lhe acordara, e por isso direcionava toda sua cólera contra ele. Impulsionava seu corpo, mesmo sentindo todos os músculos de suas pernas reclamarem de dor e exaustão, corria rente ao chão até se aproximar, quando tomaria impulso para saltar e desferir um forte sono no queixo de Guillerme, ao melhor estilo Shoryuken.

Esperava que aquilo noucateasse o oponente devido a forma que o impacto se espalha pelo crânio ao receber um sono no queixo, pelo menos para conseguir tempo de se orientar em relação as mudanças do local e identificar de onde vinha aquele fogo. "A situação já era ruim, se Isaack e Kyoko aparecerem agora podem acabar pegos por esse fogo, além da armadilha do Mondor..."

Black List:

Nome 1: Froizer Skarmor

Nome 2: Richard

Nome 3:

Nome 4:

Nome 5:

Nome 6:

Nome 7:

Nome 8:


@Angelique @Kyoko @Isaack

--------------------

user posted image
mp
^
Kyoko
 Posted: Oct 29 2017, 07:48 PM
citar


Kyoko




151 posts

Ficha

Kyoko is Offline

Agente do Governo




ATO 3 - A Guerra das Sombras


Estava parada na janela em que subi observando o tamanho do estrago causado, no início de boca aberta atonita, mas assim que engoli a primeira bola de fumaça percebi que não era uma boa ideia, mesmo assim, continuei alguns segundos olhando ao redor, tentando achar Raamar em meio àquela confusão, e cada vez ficava ainda mais impressionada com o que a bomba foi capaz, pois o ruivo não tinha dito a potência da sua bomba caseira, se é que ele mesmo sabia, afinal foi tudo feito no improviso.

"Isaack, sem querer ou não, você fez uma bela bomba, olha só o que causamos ahaahahahaha" - Ria por dentro com o estrago causado na mansão e por ver a correria de vários mafiosos... Vários mafiosos... - "Algo não está certo! Tem muitos capangas aqui, sendo que Klaus viu várias carroças saindo indo em direção ao porto... Isso só pode significar que nos enganaram! Sabiam que víamos para cá, por isso, deixaram tantos guardas. O lado bom é que Raamar está aqui em algum lugar! Mas o que está me deixando incomodada é como eles sabiam?"



Muitas perguntas surgiram em minha mente das quais não tinha resposta, e não era ali, de pé em uma janela, inalando fumaça de uma mansão pegando fogo, ouvindo barulho de tiros por todo lado, que iria conseguir entender tudo, e como se para provar isso senti algo vindo em minha direção, apesar de não estar prestando atenção ao meu redor por estar concentrada em meus pensamentos, meu instinto ligou o sinal de alerta de que algo acertaria na minha cabeça, automaticamente minha cabeça se jogou para trás levando meu tronco junto, afim de me defender, meu corpo esqueceu que eu estava na beirada da janela e para trás tinha apenas uma queda me esperando, por sorte consegui concentrar minhas forças nos meus pés e me equilibrar para não cair para trás e vi que à cima de mim tinha um chicote preso, e que para meu azar, não era o meu.

Mal tive tempo de me recuperar do susto e o dono do chicote apareceu do meu lado, e logo soltou uma cantada, o que me fez lembrar que na última vez que escutei uma cantada de um mafioso, um bar inteiro ficou sujo de sangue. Meu sangue começou a ferver com a lembrança, ainda não tinha amenizado minhas emoções a respeito daquele dia. Caso tivesse tempo, usaria minha técnica Slide, que na verdade mais era meu corpo agindo involuntariamente para fugir do perigo, tentando não ser carregada por ele. Se isto desse certo, ignoraria aquele sujeito prepotente e pularia para dentro da mansão. Assim que colocasse o pé no chão, acionaria o DenDen Mushi. -Isaack, é uma armadilha! Tem muitos guardas por aqui, não faz sentido todas aquelas carruagens de mais cedo! Raamar ainda deve estar aqui dentro, vou tentar achar ele... - O aviso era simples e objetivo. Deixaria o caramujo de lado e prepararia meu chicote para o combate, enquanto olhava os arredores ficava atenta para inimigos, atancando oponentes solitários com chicotadas, ou grupos com minha técnica Swipe. O mais importantes era coletar informações sobre o local onde eu estava para me localizar no desenho que Bonny havia feito, sorte que minha memória não me deixava na mão nessas horas.

Se minha esquiva falhasse. Quando abri minha boca para responde-lo grosseiramente, vi ele se jogar para fora da mansão e jogar seu chicote em minha cintura me levando junto, seus movimentos foram tão rápidos que não tive tempo de desviar dessa vez.

-Pelo jeito mudou de ideia sobre o drink e o que quer é uma briga hein? Boa escolha, isso eu posso te conceder. - O olhar que lhe dirigia era cheio de ódio, mas mesmo com a raiva em um nível alto não deixei tomar conta, aos poucos eu estava aprendendo a controlar minhas emoções, em uma luta não podia ser guiada pelos sentimentos, por isso comecei a olhar ao meu redor, analisando tudo que estava por perto e que poderia me trazer vantagem na luta.

"Agora, qual a melhor estratégia contra ele? Nunca lutei com alguém que também usasse chicote. E preciso terminar logo essa luta, preciso encontrar Raamar, mas por outro lado, não posso gastar todas minhas energias aqui, pois agora sei que tem muito mais inimigos do que imaginávamos e provavelmente os mais fortes vão estar aqui!" - Pensamentos rápidos passavam em minha mente, enquanto analisava a situação e observava meu inimigo.

"Se ele for igual eu, seu ponto fraco vai ser golpes corpo a corpo, por isso posso ir ganhando espaço sem ele perceber com múltiplos ataques com o chicote e quando surgir uma oportunidade usar o Shigan, acredito que consigo deixa-lo ao menos nocauteado com isso!"

Estiquei o chicote na minha frente, segurando o cabo com uma mão e a corda com a outra.



-Olha... Não me leve a mal, mas não tenho tempo para perder aqui contigo. - Falava isso já preparando minha técnica Anger Wipe, executando-s antes mesmo de terminar a frase, queria terminar logo com aquele cara e voltar para o interior da mansão. Usaria aquele ataque para criar a distração perfeita para eu me aproximar e finalizá-lo com Shigan, isso se fosse necessário. Caso não funcionasse começaria a buscar nos arredores coisas que pudesse utilizar para me mover camuflada ou para jogar nele.


Vantagens e Estilo de Luta:

Peculariedades e Aprimoramentos: Perceptivo, Senso de Direção, Memória Expandida, Aceleração, Controle de Multidões, Visão Aguçada, Aparência Agradável, Cartógrafo, Compostura, Olhos de Águia, Bom senso, Linguagem Corporal - Social, Vigilância

Estilo de Combate: Punho de Balrog (10PEs)

Arma: Zweep (+6)



@Angelique @Raamar @Isaack

--------------------

user posted image
mp
^
Isaack
 Posted: Nov 4 2017, 02:34 PM
citar


Isaack




164 posts

Ficha

Isaack is Offline

Agente do Governo




ATO 3 - A Guerra das Sombras


Toda aquela situação finalmente chegava a seu ápice, o ruivo em mais estresse do que podia parecer agia sem pensar, sua mente parecia não funcionar naquele momento e seu corpo se movia sozinho em direção a porta, girava a maçaneta devagar, aqueles segundos mais pareciam horas ate que ele voltava a realidade, mas ja era tarde, sem perceber fazia a pior ação possível e agora pagaria por isto.

-Droga.

Sem tempo para reagir o magico era recepcionado por diversos tiros, sendo alvejado fortemente do lado direito do corpo, por instinto recuava usando a maciça porta como proteção, mas ja era tarde, estava gravemente ferido, bufava encolhido contra a porta. Mas ainda não era o fim de seu castigo, ouvia um ruído muito alto, e logo uma explosão, não tinha tempo para ver o que era somente sentia sua extensão.

Novamente agindo sem perceber colocava as mãos a frente, mas não poderia se proteger do que vinha, a nuvem ardente queimava seu corpo, deixando o agente em frangalhos somente por ter cometido o erro de não pensar antes de invadir o local. Era derrotado por sua ansiedade e conseguir resgatar Rammar.

Sentia-se fraco, inútil, cerrava os punhos com fúria a si mesmo, graças a ele as chances de salvar o amigo que já eram baixas, acabavam de beirar o impossível. O corpo de Vicenzo tremia, mas não devido a dor, tal situação de stress aumentava ainda mais a dependência do jovem a seu elixir. Logo com a mão esquerda ele retirava o odre do que havia restado de suas vestes e o abria dando um longo gole. Graças a isso conseguia se focar novamente.

-...

O silencio era seu amigo, e as dores de seus ferimentos lhe roubavam o foco por vezes, via agora que Kyoko havia lançado uma bomba na sala a dentro o que fazia com que a manada se espalhasse. Mas seu algoz provavelmente ainda estaria lá dentro. E cabia agora ao ruivo pensar em como iria contra-atacar. Passava as mãos na cartucheira conferindo suas bombas, sua sorte era que as mesmas não haviam sido ativadas.

O magico só podia pensar em fazer uma armadilha para Pinky, começava a agir o mais rápido que podia devido a seus ferimentos, usava a mão esquerda e tirava o barbante que tinha guardado anteriormente em sua cartucheira, tirando um bom pedaço e o quebrava com o auxilio do maxilar. Pegava também o recipiente no qual transportava pólvora e jogava a linha ali dentro, fechando a tampa e a mexendo diversas vezes, de modo a misturar bem o agente explosivo e o pedaço de barbante.

Passava a mão agora em uma das bombas e a soltando da cartucheira, enrolava o barbante no artefato, e finalizava pegando um dos isqueiros de plásticos e o quebrava embebendo o barbante que estava enrolado.

"Como já dizia o velho ditado, se correr o bicho pega, e se ficar o bicho come.

-Que seja então.

No fim o magico estava certo que era tudo uma armadilha, mas mesmo assim ele própria caia na mesma, e agora deveria resolver aquilo sozinho aparentemente. Já tinha tomado sua decisão e assim seguiria, ainda segurando a bomba pegava sua mascara e a colocava, logo a fumaça tomaria conta desse local, apesar de ser simples o design de sua "fantasia" era projetado para ajudar na respiração em situações como essa.

Sentia o ardor das chamas que vinham do quarto a frente, e agora ouvia a voz de seu algoz, que parecia querer terminar o serviço, Bonny tentava ajudar Vicenzo mas a chuva de disparos impedia seu avanço. O agente então se abaixava e pegava seu comunicador tentando contato com o loiro rapidamente.

-Distraia ele.

Caso conseguisse se comunicar com o aliado, falava em um tom de voz baixo para Pinkerton não conseguisse ouvi-lo. Encerrava a comunicação com o loiro e agora ligava novamente para Dixon, deixando com que o Den Den Mushi tocasse indefinidamente. Esperava então pela resposta de Bonifácio, e caso fosse positiva iniciaria sem contra-ataque.

"Poderia destruir a passagem mas se Raamar estiver lá dentro ficaria preso, preciso inutilizar esse atirador logo."

Dado o prosseguimento da distração, Isaack tentava movimentar seu braço mesmo com suas dores e ferimentos, pegava um dos molotovs e com sua mão boa arremessava porta a dentro em direção ao inimigo, sem sair de sua proteção, sabia que provavelmente não iria acerta-lo, mas ganharia tempo para sua próxima ação.

Assim que o molotov explodisse, o magico tentava se mexer, jogando o corpo para o lado e caso conseguisse usava Soru mais uma vez, aparecendo perto da parede do outro lado mais acima e arremessando sua bomba caseira "turbinada" em direção ao vilão armado, mirava mais precisamente a parte inferior de seu corpo, a fim de explodir o solo.

Devido a seu estado, tentava chutar a parede próxima de si a usando de impulso, enquanto ativava Tekkai a fim de diminuir a chance de sofrer mais danos, caia então imóvel, ate chegar ao chão. Tentava achar alguma proteção para possíveis disparos.

Aprimoramentos , Pericias e Profissão:

QUOTE
Aparência Agradável (1PE): Você se veste bem e causa uma boa impressão a membros do mesmo sexo e é considerado atraente pelo sexo oposto. Ter Aparência Agradável também concede um bônus em testes de Lábia, Sedução e outras que envolvam a aparência para conquistar a confiança de outras criaturas. Os efeitos dessa Vantagem não se aplicam às pessoas que, por algum motivo, não gostam do personagem. Não tem a ver com Beleza, e sim o quão atraente consegue se produzir. Não acumula com outras aparências.

Benefício: Interpretativo; Técnicas baseadas na aparência com o efeito "Fascínio" duram 1 turno além do normal.

QUOTE
Vigilância (2PE): Treinamento excessivo fez do seu personagem um “paranoico saudável”, seu senso de perigo fez com que estivesse sempre pronto para o combate. Sempre que for surpreendido ou se iniciar um combate, seu personagem já estará pronto para reagir, seja com punhos ou com arma, e o primeiro ataque sempre terá acerto com chance bonificada.

Benefício: Concede um bônus +2 nos testes de Percepção. Concede um bônus +3 no acerto do primeiro ataque no combate.

QUOTE
Determinação (1PE): O personagem é dotado de uma força de vontade em atingir seu objetivo que é inabalável. Seu objetivo pode até mudar conforme o andar da história, mas nada irá desanimá-lo ou abalar sua fé em atingir sua meta. Qualquer agressão ou ações morais que afetariam o objetivo do personagem só o fazem reafirmar seus objetivos, nunca recuando.

Benefício: Interpretativo; Concede um bônus +1 nas jogadas e testes quando envolve diretamente seu objetivo (Objetivo tem que ser especificado neste Aprimoramento, e deve ser algo direto).

QUOTE
Coragem (1PE): Você é desprovido do medo convencional, tal que em situações críticas, onde a maioria das pessoas fugiriam apavoradas, você continua firme.

Benefício: Reduz em 50% as chances de sofrer o efeito "Amedrontamento".

QUOTE
Tato Aguçado (2PE): O sentido pelo qual o seu personagem tem conhecimento da forma, temperatura, consistência, pressão, estado da superfície e peso dos objetos é amplamente aprimorado.

Benefício:Interpretativo.

QUOTE
Resistência ao álcool (1 PE): Por algum motivo você adquiriu uma resistência maior ao álcool do que pessoas normais, podendo resistir aos efeitos da embriaguez.

Benefício:Quando sofre um ataque de "Embriaguez" o efeito diminui em um nível (mínimo nível 1)

QUOTE
Acrobata (1PE):  Com grande capacidade de movimento, consegue entrar com facilidade em locais de difícil acesso, executar difíceis manobras e realizar acrobacias diversas. 

Benefício:Interpretativo; Concede um bônus +1 nas jogadas de defesa.

QUOTE
Aceleração (1PE/RACIAL): Você é mais ágil que o normal e pode realizar ações e correr mais rápido. Esta Vantagem permite realizar uma tarefa que normalmente tomaria sua movimentação no turno, como recarregar uma arma ou desativar uma bomba, porém ela não permite atacar mais do que o estipulado pelo mestre.

Benefício: Interpretativo; Concede um bônus +4 em Agilidade.

QUOTE
• Tekkai (2PE):Permite que o utilizador consiga deixar seus músculos tão resistentes quanto aço por alguns instantes, podendo anular danos tomados de ataques. Quando o Tekkai está ativo, o usuário é incapaz de se mover.

Bônus: (level)x2 em resistência

Custo: (level)x2

QUOTE
• Soru (2PE):Permite que o utilizador se mova em uma velocidade extremamente alta afim de evitar ataques, e do mesmo modo fazer ataques muito rápidos. É dito que ao utilizar o Soru, o usuário bate os pés 10 vezes no chão em menos de 1 segundo.

Bônus: (level)x1,5 em esquiva/agilidade ou acerto

Custo: (level) x1,5 pontos de energia



@Angelique @Raamar @Kyoko

This post has been edited by Isaack: Nov 4 2017, 02:38 PM

--------------------
user posted image
mp
^
Angelique
 Posted: Nov 11 2017, 07:45 PM
citar


Angelique




355 posts

Ficha

Angelique is Offline

Narrador




Isaack caía com a ponta dos pés e dava um rolamento, puxando o chicote para perto de si e agravando o peso com a qual Kyoko ia de encontro ao solo, batendo de costas e todo o ar que havia em seus pulmões eram expelidos, deixando-a momentaneamente com uma dor no local, mas não sem falta de ar, pois a queda não era assim tão grande, apenas pesada. Se levantava provocando e em um movimento rápido de seu pulso e a velocidade usada fez com que ele se assustasse e jogasse o corpo para o lado, porém assim que abriu os olhos, ela já estava com o chicote em mãos e atirando pequenos projéteis de ar contra ele, onde rolou mais uma vez.

- Sound Buckler! - Com o chicote recolhido em mãos, ele desenrolava apenas uma quantia pequena e as estalava no ar, criando uma leve explosão que aparava o Shigan da garota. Procurava seu chapéu pelo jardim e não o achava, olhando para ela enquanto ajeitava seu terno. O olhar focado nela como se não existisse nada no mundo além da ruiva, os lábios sem carne, normalmente em um sorriso medonho como face de repouso, não era possível manter outro tipo de expressão, mas se o fosse, estaria com um jeito mais sério do que maníaco.

- Você é provocativa também... Aprecio isso, mas. é habilidosa com esse chicote? - Na medida que ela corria e procurava algo para jogar contra Isaack, sem encontrar coisas muitos úteis (havendo pedras pequenas, galhos secos, flores, etc) ele ia para a proximidade dela, não a pé, mas sim da mesma força que chegou na janela. Liberou toda extensão do chicote e prendeu em um tronco e se alçou até lá e quando enfim encostou na madeira, lançou-se contra a garota, que não teve muita reação.

Caiu sobre ela, jogando a ambos no chão e dando um rolamento por cima do corpo dela, ficando de pé logo a sua frente enquanto ela sentia o impacto de todo o peso dele. A grama amaciava, porém as pedras deixavam pequenos cortes em sua pele.


- Uma arma dessas é feita para combate a longa ou média distância. Mas saiba que há uma maneira de se lutar a curta. - Ele puxava toda a arma e enrolava-a na mão, deixando apenas um pequeno pedaço pendurado e logo erguia a mão. - Você deve saber que a ponta de um "gato de nove caudas" produz seu som ao quebrar a parede do som. - Desenrolava então a ponta afiada de sua arma e logo se dividia em nove pontas, que pendiam.

Estava bem próximo de Kyoko e aproveitando que a garota estava deitada, ele chicoteou a lateral da cabeça dela, quebrando a barreira do som e a deixando surda momentaneamente. Deu uma segunda chicotada e ela sentiu algo quente escorrendo de sua orelha.


- Esse é o meu estilo: "The Proof of Sound". Sou um lutador de curta, média e longa distância! Você pretende me vencer correndo e atirando coisas? Me chicoteando com essa arma simplória? Quantas caudas tem o seu gato? - Suas provocações eram feitas abafadas, visto que não conseguia ouvir direito graças aos estalos nas laterais de sua cabeça. O som também houvera pego seu sentido de coordenação e agora sentia enjoos, dificuldade em manter o equilíbrio.

A sede por um gole de álcool era algo enorme agora que seu sangue se esvaia pelos buracos do braço, que pingavam e facilmente faziam uma poça no chão. Um pouco de vinho poderia aparar aquilo, diminuir qualquer confusão mental, afastar o sentimento de insuficiência naquela missão de resgate, ajudá-lo a se recompor da maneira que fosse naquele líquido milagroso. Talvez algo mais forte como um pouco de vodka, aquela "água" era quente e faria com que simplesmente não se importasse com o ferimento, daria a força que precisava. Whisky? Bebida dos cavalheiros, dos nobres, seria seu amigo ali, alguém com a qual confiava há anos e o transportaria facilmente para um local mais convidativo, cheio de jogos e outras bebidas e quem sabe, algumas garotas bonitas como ótimas companhias para a noite.

Mas precisava se focar no agora, mesmo que sua garganta implorasse por um pouco de destilados. O inimigo estava atrás de si. Pegou o odre que carregava e simplesmente empinou o nariz, enchendo as bochechas enquanto sentia toda a boca meio dormente, coçando e pedindo por mais, mesmo que o momento não fosse propício para um pouco de bebedeira, o que poderia levá-lo a morte se não tomasse o devido cuidado.

Pegou o Den Den Mushi e mandou uma mensagem simples para Bonifácio enquanto se focava em preparar sua investida para contra Pinkerton. De primeira o loiro ficou calado e o pequeno caracol deixava claro em como ele estava preocupado, imitando a expressão facial dele, mas logo se lembrou que naquela divisão não se questionava ordens, as seguia e completava a missão (mesmo que Isaack fosse inferior a ele, não poderia se atar a hierarquias). Apenas desligou o seu.

Bonny então se arriscava saindo de seu esconderijo, mas no primeiro passo dado para chamar a atenção do mafioso, o mesmo saía pela porta e encontrava o ruivo sentado com o braço sangrando, abriu um sorriso maldoso e apontou a arma para a face dele, na pressa ele atirou o Molotov contra o inimigo, mesmo que isso explodisse nele junto, porém não havia distância o suficiente para ter o impacto explosivo, logo, Pinkerton apenas se abaixou um pouco e deixou a garrafa cair atrás de si, sem se estilhaçar. Como sua metralhadora já estava posicionada para o rosto do ruivo, ele simplesmente apertou o gatilho e o descarregou contra o mágico.

Raamar acordava ao sobressalto e olhava ao redor, avistando alguém, possivelmente a fonte do urro que o acordou. Sua melatonina estava em alta e obviamente seus pensamentos não eram os mais coerentes, pois se ele tivesse ido "no seco" atacar Mondor, certamente já estaria morto ou restringido pela sua legião de seguidores, mas para sua sorte era o menor deles. Não mediu força, apenas queria continuar o descanso merecido e logo fora para cima do inimigo, impulsionando um soco de baixo para cima, com a finalidade de acertar o queixo e fazer seu adversário morder a própria língua e ser nocauteado enquanto seu cérebro era sacudido com o impacto.


- Broca! - Ao que o punho de Raamar se aproximava do queixo dele, logo ele tornou a girar, porém agora na ponta do calcanhar. Girando descoordenadamente, sem equilíbrio algum, pretendendo ser repelido pelo corpo que sofresse o impacto. Tal velocidade era o suficiente para puxar os pelos do chacal e levar seu braço junto em uma força centrífuga tão forte que poderia deslocar seu ombro ou mesmo o cotovelo, porém apenas fora jogado para o lado com muita violência, batendo com força na parede e sentindo todo o impacto como se tivesse caído do segundo andar na pior posição possível.

- Inútil. Pensa que ia ser pego de surpresa? Sabe há quanto tempo eu trabalho com a máfia? Devemos sempre dormir com um olho aberto. Dois se somos o "Rei". Você está cansado, ainda tem essa coleira no seu pescoço, acredito que sofreu alguma espécie de tortura com Sr. Capri... E ainda pensa que pode me enfrentar? Não se iluda. - Apontava a arma para ele uma segunda vez e engatilhava. - Adeus, Raamar. Mais sorte da próxima vez.

Todos pareciam estar a um passo da morte.

- Tenkai! - Bonifácio agora houvera usado suas habilidades do Rokushiki para chegar até Vicenzo e após cobri-lo com seu corpo, recebeu facilmente toda a munição nas costas, o que era uma rajada à queima-roupa e por não ser tão resistente como Dixon, ele agora estava sangrando, mesmo que não houvesse uma perfuração pelos projéteis.

O rastro de pólvora que fizera no corpo de Pinkerton pela garrafa que ainda queimava atrás de si enfim se inflamava e explodia em chamas nas suas pernas. Não era uma explosão forte, mas pegava fogo muito facilmente e logo o grandalhão teve, sem munição para revidar, deixou a ambos ali e correu para o chão do jardim central, deitando no chão e girando enquanto tentava apagar as chamas, que pelos compostos químicos que o ruivo houvera pego com o médico, não era assim tão fáceis de se apagar.

Desesperando-se, ele rasgou suas calças e retirou a parte de cima do capote, abafando suas pernas para que sua carne não fosse assada como um leitão.

Nesse meio tempo, Bonny se enfiou embaixo do braço esquerdo de Vicenzo e lhe deu apoio para se levantar (e se manter de pé). Seus cabelos encharcavam-se um pouco de sangue que estava nas roupas do ruivo.

"Purupurupuru"

O som do caracol distraiu ao Primo e ele se virou já atirando enquanto Dixon surgia do meio da fumaça e abraçava forte Guillerme, colocando a mão na pistola e recebendo um tiro na palma, mas pelo menos aparando o que iria finalizar o jovem chacal. O Den Den Mushi, que antes fora ligado pelo mágico e até agora não fora atendido, continuava anunciando que uma chamada estava sendo feita.


- Não apanhou o suficiente? O que aconteceu com Lucas? - Gritava enraivecido o pequeno, que recebeu uma cabeçada do grandalhão e ambos jogaram a cabeça para trás, visto o quão machucado ele estava e para Guillerme, fora pela dor mesmo enquanto aguardava um pouco de diálogo do brutamontes.

Caindo de pé, gritou "Arpão" e saltou na barriga Dixon, que não mais conseguia usar o Tenkai e por consequência, cuspiu sangue, mas teve força o suficiente para agarrá-lo e jogá-lo contra uma coluna, que desmoronou sobre ele junto das chamas, erguendo uma nuvem de fumaça e poeira, dando tempo para que o grandalhão fosse até o chacal.


- Estou aqui, espertalhão. Você precisa sair daqui e avisar o pessoal do Governo o que está ocorrendo. A informação que você tem é mais importante que o carregamento do porto. Podemos colocar Mondor no chão e mudar o destino dessa ilha, vá! - Um típico seguidor de ordens. Fazia o que lhe era mandado e como Bonny falou anteriormente, era o melhor naquilo. Sacrificou tanto de seu corpo para salvar Raamar, mas ainda assim era fiel ao GM. Sua face cortada e suja de cinzas, agora criava uma pequena lama em seu queixo e um pedaço do peito, pelo sangue que houvera cuspido. - Só me deixe retirar isso logo. - Então agarrou o colar no pescoço do chacal e puxou com todas as suas forças, gritando pelo esforço enquanto o objeto nem ao menos rangia ou demonstrava estar enfraquecido. - Desisto! Só vá e fale com Froizer!

Enquanto Gregório se gabava contra a indefesa Kyoko, do nada um esguicho de sangue se fazia contra a face da garota e ele gritava de dor, colocando a mão na face para limpar o líquido rubro. Se ela erguesse a cabeça para avistá-lo, veria que o seu Anger Wipe, com dano retardado, agora fazia efeito e lhe dava a brecha necessária para revidar.

- O que você fez, sua bruxa? Meu rosto...! - Ele sentia muita dor pelo impacto e era algo óbvio, visto que pela falta de músculos faciais, consequentemente ele sofria todos os danos diretamente nos ossos ou terminais nervosos, sentindo até cinco vezes mais que os outros. Saltou para trás pela mais pura confusão, sem saber se ela era extremamente rápida ou se tinha usado alguma técnica deitada e sem prestar atenção no que fizera, baixou sua guarda e sofreu as consequências.

Recostou-se contra a parede da mansão e pressionou o local do corte, aguardando alguns segundos para então retirar e mostrar que Kyoko houvera cegado um dos olhos do homem em um impacto que tivera acertado reto um corte de cima da sobrancelha até a narina, algo que certamente deixaria uma cicatriz.

Seu golpe fora tão certeiro e forte que o olho agora estava murcho e sem coloração, fazendo-o chorar sangue enquanto a ferida já estava limpa. Ele salivava de dor enquanto franzia o cenho.


- Temos que sair daqui, Klaus pode te ajudar. Você já está fora de combate, vamos embora, eu te ajudo. - No que terminou de falar isso, puxou seu Den Den Mushi, mas não discou, pois o peso de Isaack sobre si era algo que lhe incomodava, agora que estava com as costas em carne viva por ter tomado cerca de duzentos tiros próximos o bastante para que seu corpo fosse repartida ao meio, mas por sorte sua técnica absorveu o máximo que pode. Pendeu um pouco e assim que ergueu a cabeça, avistando Pinkerton, o mesmo já houvera desfeito suas calças e jogado-as por ali mesmo, que já se esfarelaram e agora as chamas ardiam no chão mesmo e o capote estava amarrado em sua cintura. Era visível que por baixo de suas vestes, trajava um colete com munições para sua querida arma.

Havia chamas infernais em direção da porta e dentro da mansão, entre eles pela carroça que fora explodida e atrás de Pinkerton, criando uma pequena arena enquanto ele recarregava a metralhadora, colocando mais um pente e retirando do colete, mais uma granada para arma, imóvel no lugar.

Guillerme então chamava a atenção de ambos ao sair dos escombros, sangrava pela testa e parecia bem surrado, mas seu corpo estava intacto. Por baixo das vestes rasgadas e queimadas, ele agora terminava de exterminá-las e deixava à mostra de onde vinham seus poderes: um colete a prova de balas reforçado. Seu pouco tamanho consequentemente fazia com que tivesse pouco peso e aproveitando-se disso, ele ganhava velocidade facilmente. Com aquela roupa que parecia impenetrável lhe favorecia a dureza necessária para criar peso e aumentando isso com a força centrífuga, conseguia um impacto absurdamente forte para alguém tão franzino.

Desenrolava totalmente o chicote e com fúria no único olho que conseguia enxergar, ele começou a fazer ondulações no corpo da arma até que conseguisse manter ele na horizontal, logo gritando.


- Plastic Bubble! - Estalou todo o chicote em conjunto. Cada ponta da arma produzia no ar um estalo que quebrava o som como um verdadeiro jato e o conjunto daquilo fazia parecer um escudo gigante feito de ar. Ele estourava diversas vezes à sua volta até que enfim pudesse arremessar a cacofonia nela, não usando verdadeiramente o chicote e sim, os efeitos que vinham nele, algo como uma pistola usando projéteis.


This post has been edited by Angelique: Nov 11 2017, 07:47 PM
mp
^
Raamar
 Posted: Nov 14 2017, 09:05 AM
citar


Raamar




759 posts

Ficha

Raamar is Offline

Programador




ATO 3 - A Guerra das Sombras


Seguindo seus instintos, atacou o que acreditava ser seu despertador sem medir consequências, o que o levou direto para a parede violentamente. -Uff!?!? - Seus pulmões expeliam o ar pela força do impacto, mas ao menos isso tornava sua mente um pouco mais límpida e racional, enquanto recuperava o fôlego, parava para ver quem o havia acordado.

-Bla bla bla bla bla..... Cara, como vocês são irritantes com toda essa falação. Se acha que consegue mesmo me matar, então tenta a sorte logo! - O mau humor decorrente da falta de sono e cansaço só piorava, sua fala seguia arrastada como um rosnado.

Preparado psicologicamente para o próximo golpe, Raamar já começava a relaxar seu corpo e tentar assim desviar com Kamie, porém o estranho som de um daqueles caramujos atraiu totalmente sua atenção, por sorte a do Primo também. Os olhos do pequeno chacal se arregalavam ao ver a montanha de músculos que se aproximava. "Filho da mãe! O Isaack está ferrado se for mesmo enfrentar esse monstro...." - Ainda com os olhos arregalados via a bala que lhe era direcionada ser amparada apenas com a mão. -Caramba, juro que se tu mastigar essa bala como se fosse chiclete, tu vira meu herói! - Exaltado com a performance ogra de Dixon.

Aproveitava a brecha, que Dixon conseguira para eles, para se levantar. Seu corpo estava coberto de hematomas e sujeira, seu rosto não estava nem um pouco melhor e mesmo seus músculos doíam a ponto de sentir cada um deles separadamente. Seu semblante voltava a ficar sério conforme escutava as palavras de Dixon, antes o bestial havia tentado de seu próprio jeito e fracassara, agora finalmente engolia o orgulho e aceitava as ordens do brutamonte. -Certo grandão, tente ficar vivo... - Falava mais por educação, pois sabia que na situação atual isso já fugira do controle deles. -Grandão, em vez se tirar essa coleira, me diga onde o Froizer está! - Falava com um leve toque de irritação, também como se tivesse uma epifania, apontava para o peito do brutamonte. -Me entregue esse caramujo falante ai, no meio de toda essa confusão você não vai conseguir atender ele, e isso ai está denunciando tua presença! No caminho vou tentar entrar em contato com os outros e avisar que você continua aqui e que ninguém foi enviado para o porto. - Pegava o caramujo caso lhe fosse entregue e espalmaria a mão do gigante caso tentasse gastar suas forças novamente com a coleira.

Buscava a janela que tentara usar antes para sair, mais por ser cabeça dura e insistir em algo até conseguir fazer como deseja do que por qualquer outra coisa, preenchia seus pulmões por duas vezes seguidas, dando tempo para preparar seu corpo.

Antes que pudesse de fato colocar em prática seu plano, percebia uma movimentação nos escombros onde Dixon arremessara o pinguim. -Sério mesmo que esse cara ainda não morreu?!?!?! - Deixava sua frustração se acumular em sua canela e então arremessava tudo aquile em forma de um Rankyaku na estrutura do andar superior acima de onde o oponente estava, visando derrubar aquilo e finalizar seu adversário, ou ao menos distraí-lo. -Grandão, conto contigo para ajudar meus companheiros caso cheguem antes que eu volte!

Calculava quantos saltos seriam necessários para alcançar a janela e então correria com sua velocidade natural até a base das pilastras, somente quando já estivesse perto suficiente saltaria já impulsionado com Soru para alcançar o quanto antes a janela e saltar para o lado de fora.

Caso escapasse com sucesso do interior da mansão, buscaria lá do alto inimigos que pudessem atrapalhar sua saída, se fosse um único oponente, avançaria com Soru para cima dele e socaria o alto de sua cabeça com o punho carregado de Electro. Porém se fossem muitos, aproveitaria sua experiência com florestas para se mover furtivamente e alcançar o muro externo da mansão. Perderia mais tempo naquela mansão somente se encontrasse algum de seus companheiros no caminho. Caso não encontrasse ninguém no caminho até o muro, subiria ele utilizando suas garras como ganchos de escalada e somente lá em cima ligaria o caramujo, tentando chamar a pessoas que estava ligando agora pouco.

-Mondor não enviou ninguém para o porto. A mansão se tornou uma armadilha. Dixon continua lá dentro! - Utilizava frases simples para evitar problemas de entendimento, repetia mais uma vez as frases para garantir que tinha sido claro.

Caso fosse interceptado de novo, tentaria bloquear o ataque e descarregar seu Electro no atacante, incapacitando-o e então subindo em suas costas durante a queda para poder pegar impulso e tentar assim novamente alcançar a janela.
Black List:

Nome 1: Froizer Skarmor

Nome 2: Richard

Nome 3:

Nome 4:

Nome 5:

Nome 6:

Nome 7:

Nome 8:


@Angelique @Kyoko @Isaack

This post has been edited by Raamar: Nov 14 2017, 12:23 PM
mp
^
Isaack
 Posted: Nov 14 2017, 03:17 PM
citar


Isaack




164 posts

Ficha

Isaack is Offline

Agente do Governo




ATO 3 - A Guerra das Sombras


A bebida acalmava o amago do ruivo, mas sem que ele pudesse perceber o deixava suscetível a mais erros. Prosseguia com sua estratégia e se comunicava com o loiro após aprontar sua bomba e deixar o caramujo tentando iniciar uma chamada com Dixon. Mas quando de fato iria ao ataque ja era tarde de mais.

Isaack se virava lentamente e via aquela figura imponente a sua frente, por mais treinado que fosse, não conseguiu se conter e entrou no desespero jogando o molotov em direção a Pinky, o atirador apenas se abaixou e deixou com que o frasco caísse atrás de si. Levantou então sua metralhadora.

O magico via o fundo do cano da mesma, sua munição reluzente, e o dedo no gatilho de Pinkerton se fechando. Seus cabelos se misturavam ao rubro do sangue de suas feridas, uma poça no chão se formava, aos poucos a vida do agente se esvaia, e ele já poderia ver o outro mundo.

Por um momento sua força de vontade vacilava, e ele se entregava ao destino. Fechava os olhos por trás da mascara. Mas sentia agora um ardor vindo de dentro, não era as dores dos ferimentos e nem seu vicio tomando forma, era outra coisa. Cerrava os punhos, ainda estava vivo. Flexionava os músculos, ainda estava vivo, mal respirava, mas ainda estava vivo e tentaria de tudo para continuar assim. Levantava sua mão direita e a colocava a frente de si como podia.

-Tek...

Vicenzo ouvia uma rajada sem fim sendo disparada, mas não sentia o impacto dos projeteis, via a sua frente agora um borrão loiro, e logo percebia que era Bonifácio que havia aparecido para salva-lo no ultimo instante, dando-lhe um tapa de luva na face ao salva-lo da morte e levando os tiros que eram para ele.

Talvez ainda não fosse a hora do cozinheiro, pois milagrosamente as chamas de seu molotov finalmente chegavam as pernas de Pinky e faziam com que ele se retirasse por hora. Dando tempo para que a dupla pudesse tentar fugir. Issack agora era amparado por Bonny, pois não conseguia ficar em pé sozinho.

Seu estado era deplorável, e mal conseguia andar, mas o destino ria mais uma vez da dupla. Ao olharem para frente ambos viam a imagem de seu carrasco a frente, já havia contornado a situação anterior e agora carregava sua arma e se preparava para dar cabo dos agentes.

"Droga, não consigo me mexer, tenho..."

O químico pensava rápido, mas não havia tempo para isso, teriam que se mover caso contrario iriam morrer. Por mais que seu corpo estivesse debilitado sua mente ignorava a dor e pensava no que fazer. Colocaria mais uma vez sua sorte a prova.

-Bonny, Soru sincronizado, ao meu sinal, ainda tem a bomba que te dei né? Apareça perto dele e não erre.

O magico falava de modo que somente Bonifácio ouvisse, e mais uma vez contava com a colaboração do loiro, uma vez que não tinham muito o que fazer, ele então enfiava a mão em seu manto e pegava a ultima bomba que tinha consigo. Sabia que Pinky iria atirar logo, então com suas ultimas forças empurrava seu corpo para trás com os pés, em conjunto com Bonifácio e lançava a granada em direção ao inimigo.

No momento em que caiam para trás e o lançamento era feito, este em uma trajetória obliqua, Isaack cutucava Bonny para ambos utilizarem Soru, e assim ele fazia, ainda usando o corpo do companheiro como apoio tentava executar a tecnica e reaparecer acima de Pinkerton, mais precisamente em uma diagonal mais a direita do mesmo.

Pegava rapidamente o restante da pólvora que tinha consigo, e abria o pote jogando-a para baixo em direção ao oponente, na tentativa de distrai-lo o suficiente para Bonifácio conseguir finaliza-lo com a ultima bomba. Por fim caia utilizando seu Tekkai como podia e tentava usar o Soru para se afastar.




Aprimoramentos , Pericias e Profissão:

QUOTE
Aparência Agradável (1PE): Você se veste bem e causa uma boa impressão a membros do mesmo sexo e é considerado atraente pelo sexo oposto. Ter Aparência Agradável também concede um bônus em testes de Lábia, Sedução e outras que envolvam a aparência para conquistar a confiança de outras criaturas. Os efeitos dessa Vantagem não se aplicam às pessoas que, por algum motivo, não gostam do personagem. Não tem a ver com Beleza, e sim o quão atraente consegue se produzir. Não acumula com outras aparências.

Benefício: Interpretativo; Técnicas baseadas na aparência com o efeito "Fascínio" duram 1 turno além do normal.

QUOTE
Vigilância (2PE): Treinamento excessivo fez do seu personagem um “paranoico saudável”, seu senso de perigo fez com que estivesse sempre pronto para o combate. Sempre que for surpreendido ou se iniciar um combate, seu personagem já estará pronto para reagir, seja com punhos ou com arma, e o primeiro ataque sempre terá acerto com chance bonificada.

Benefício: Concede um bônus +2 nos testes de Percepção. Concede um bônus +3 no acerto do primeiro ataque no combate.

QUOTE
Determinação (1PE): O personagem é dotado de uma força de vontade em atingir seu objetivo que é inabalável. Seu objetivo pode até mudar conforme o andar da história, mas nada irá desanimá-lo ou abalar sua fé em atingir sua meta. Qualquer agressão ou ações morais que afetariam o objetivo do personagem só o fazem reafirmar seus objetivos, nunca recuando.

Benefício: Interpretativo; Concede um bônus +1 nas jogadas e testes quando envolve diretamente seu objetivo (Objetivo tem que ser especificado neste Aprimoramento, e deve ser algo direto).

QUOTE
Coragem (1PE): Você é desprovido do medo convencional, tal que em situações críticas, onde a maioria das pessoas fugiriam apavoradas, você continua firme.

Benefício: Reduz em 50% as chances de sofrer o efeito "Amedrontamento".

QUOTE
Tato Aguçado (2PE): O sentido pelo qual o seu personagem tem conhecimento da forma, temperatura, consistência, pressão, estado da superfície e peso dos objetos é amplamente aprimorado.

Benefício:Interpretativo.

QUOTE
Resistência ao álcool (1 PE): Por algum motivo você adquiriu uma resistência maior ao álcool do que pessoas normais, podendo resistir aos efeitos da embriaguez.

Benefício:Quando sofre um ataque de "Embriaguez" o efeito diminui em um nível (mínimo nível 1)

QUOTE
Acrobata (1PE):  Com grande capacidade de movimento, consegue entrar com facilidade em locais de difícil acesso, executar difíceis manobras e realizar acrobacias diversas. 

Benefício:Interpretativo; Concede um bônus +1 nas jogadas de defesa.

QUOTE
Aceleração (1PE/RACIAL): Você é mais ágil que o normal e pode realizar ações e correr mais rápido. Esta Vantagem permite realizar uma tarefa que normalmente tomaria sua movimentação no turno, como recarregar uma arma ou desativar uma bomba, porém ela não permite atacar mais do que o estipulado pelo mestre.

Benefício: Interpretativo; Concede um bônus +4 em Agilidade.

QUOTE
• Tekkai (2PE):Permite que o utilizador consiga deixar seus músculos tão resistentes quanto aço por alguns instantes, podendo anular danos tomados de ataques. Quando o Tekkai está ativo, o usuário é incapaz de se mover.

Bônus: (level)x2 em resistência

Custo: (level)x2

QUOTE
• Soru (2PE):Permite que o utilizador se mova em uma velocidade extremamente alta afim de evitar ataques, e do mesmo modo fazer ataques muito rápidos. É dito que ao utilizar o Soru, o usuário bate os pés 10 vezes no chão em menos de 1 segundo.

Bônus: (level)x1,5 em esquiva/agilidade ou acerto

Custo: (level) x1,5 pontos de energia



@Angelique @Raamar @Kyoko
mp
^
Kyoko
 Posted: Nov 14 2017, 05:42 PM
citar


Kyoko




151 posts

Ficha

Kyoko is Offline

Agente do Governo




ATO 3 - A Guerra das Sombras


Percebi bem rápido que ele não me deixaria escapar, apertei meu chicote com ainda mais força, descontando na arma a frustração por perder meu tempo ali fora, mesmo tentando atacá-lo de diferentes formas ainda assim levei a pior. "Não posso negar, ele sabe manejar muito bem o chicote." - Foi o que ironicamente pensei quando fui derrubada pelo movimento dele.

-AAAAAAAAAahhhhhh - Estava conseguindo conter minhas palavras, para não lhe dar o gosto de ter suas provocações respondidas, mas a dor em meu ouvido foi tanta que não consegui me conter, um zumbido tomava conta da minha cabeça, acompanhado por inúmeras pontadas, que mais pareciam várias agulhas em meu cérebro. Sentia algo quente escorrendo em meu pescoço, mas não podia me dar ao luxo de limpar.

Tentei dar uma joelhada em suas partes baixas para tirá-lo de cima de mim, mas não foi mesmo necessário, uma das minha técnicas, que havia jurado ter errado, mostrava resultado, danificando ainda mais o rosto já feioso de Gregório, a dor que lhe causei criou a oportunidade que eu precisava, tão logo ele saiu de cima de meu corpo, rolei para o lado em uma tentativa de me levantar, infelizmente eu havia subestimado o dano em meu ouvido. "Lógico que não seria somente um dano externo". - A náusea que senti quando me movimentei embrulhou completamente meu estômago, e com a cabeça baixa como estava não consegui me conter e vomitei ali mesmo.



Cuspi o gosto amargo da bile que havia permanecido em minha boca e me levantei da melhor forma que consegui, mesmo que para isso utilizasse alguma árvore como apoio. "Nesse estado não posso confiar na minha precisão...." - Pensava rapidamente enquanto o inimigo ainda estava ocupado se preocupando com o que eu tinha feito e como o havia feito.

-Aprendi com um amigo que um mágico nunca revela seus segredos, o mesmo vale para nós bruxas. - Se aquela afirmação o deixasse receoso, não havia porque não fingir um pouco. Agora em pé e com a mão de Gregório fora do caminho consegui ver melhor o estrago que lhe causei, aquilo embrulhava novamente meu estômago.



Assim que percebi o movimento de Gregório com seu chicote meu corpo reagiu sozinho, como um reflexo pela dor que viria se levasse mais um daqueles golpes. Meu punho começou a girar o chicote de uma forma que eu havia aprendido para agregar energia cinética aos meus próximos golpes (Técnica 1: Buff), no mesmo momento que o golpe de Gregório ficava pronto, os preparativos para o meu também ficavam, restava saber quem era o melhor no manejo do chicote.



Mantendo um pouco a encenação de agora pouco, comecei um discurso um tanto quanto clichê que havia aprendido nos livros. -Óh Gaia, Dona dos solos e tudo abaixo deles, invoco seus poderes para que engula esse maldito seguidor de Éolo!

Com meu chicote carregado de energia cinética, eu pulava, tanto para ganhar um pouco de altitude quanto para me posicionar na direção do olho agora cego dele, e então estalava meu chicote não mirando diretamente em seu corpo, mas sim no chão logo a sua frente, parar criar um abalo sísmico (Técnica 2: Swipe) e tanto acertar seu corpo quanto anular sua técnica sonora com a minha própria forma de distorcer a terra e o ar.
Vantagens e Estilo de Luta:

Peculariedades e Aprimoramentos: Perceptivo, Senso de Direção, Memória Expandida, Aceleração, Controle de Multidões, Visão Aguçada, Aparência Agradável, Cartógrafo, Compostura, Olhos de Águia, Bom senso, Linguagem Corporal - Social, Vigilância

Estilo de Combate: Punho de Balrog (10PEs)

Técnicas: Buff; Swipe

Arma: Zweep (+6)



@Angelique @Raamar @Isaack
mp
^
Angelique
 Posted: Nov 16 2017, 01:22 AM
citar


Angelique




355 posts

Ficha

Angelique is Offline

Narrador




- Froizer está no porto, nos aguardando concluir essa missão. Ele irá nos garantir assistência médica e proteção assim que tudo estiver pronto. Vá o quanto antes, eu seguro esse filhote de gente. - Ele falava meio arrastado, se babando um pouco e quando percebeu a mucosa que mesclava saliva e sangue, prontamente cuspiu ao chão, passando logo em seguida o braço sujo pela face e não diminuindo a imundície em que se encontrava.

A pedidos do menor, ele entregou o Den Den Mushi para ele, ainda fazendo seus repetidos "purus" de chamada sendo feita.

Calculou quantos saltos teria de fazer para sair daquele local em chamas e logo em seguida, Guillerme se levantava e o chacal se incomodou em como seu inimigo era resistente, mas não queria desperdiçar tal tempo, logo correndo para uma pilastra e iniciando sua fuga.


- Não irá me dar as costas, Raamar! Broca! - Ele saltava e ia na direção dele aos giros e o jovem atirou um rankyaku na direção dele, obrigando-o a mudar seu curso e cair numa armadilha. Dixon, que agora era o adversário do pequeno, logo salta na frente e tenta encaixá-lo embaixo de seu braço, esfolando-o a ponto de sair fumaça do colete que Guillerme usava e o grandalhão urrar de dor pelo ocorrido. Como um verdadeiro brutamontes que era, a primeira coisa que ele logo em seguida fora agarrar a perna do mink e com um giro, atirou-o para o segundo andar e antes que pudesse soltá-lo, Soru do chacal fora utilizando, dando um impulso muito forte e enfim sair voando dali. - Não!

- Adeus, espertalhão! - E por trás dele, as chamas engolfavam o primeiro andar, cobrindo a figura abrutalhada com fumaças e gritos, não permitindo ser mais visto Dixon ou Guillerme, ou mesmo qualquer outro mafioso que ainda tentasse fugir do fogo de Kyoko.

Do lado de fora, ao lado da janela, a garota conseguia enfim se levantar após os ataques de Gregório, porém acabou por vomitar enquanto o mundo em sua frente não apenas tinha um retardo cada vez que ela movimentava a cabeça, deixando um borrão em sua visão e como se estivesse em alta velocidade e do nada parasse, o mundo demorava em se ajustar. Tinha um ouvido abafado por sangue quente que começava a escorrer pelo pescoço e o outro tina um leve zunido. Se escorava em uma árvore e mesmo assim parecia difícil se agarrar a ela, cada piscada era como se alguém a desequilibrasse e cada olhada fixa fazia com que seus olhos se esforçassem a manter o foco. Suava.

Conjurou um pouco sua técnica enquanto desenhava um lemniskata em sua frente, esforçando-se para estabilizar o chicote, mas assim que o conseguiu e saltou, jogou com tamanha força a ponta de seu chicote que ele bateu com o corpo primeiro na grama, formulando o movimento de penetração na terra e assim como uma tsunami faz o mar recuar, quando a ponta da arma encostou no verde, pressionou tudo que houvera acumulado, não só de força, mas também de pressão, e em milésimos ela já conseguia fazer aquilo avançar contra Isaack, que com sua própria técnica de quebra da barreira do som, tivera de projetar mais para baixo e barrar "o grosso", mas se desestabilizando e caindo para trás, deixando sua barreira de pé, mas não se movimentando contra a garota ou coisa alguma.

Como que em retribuição, agora que a garota estava no ar, algo peludo vinha em sua direção e se juntava a ela, fazendo com que ambos fossem com tudo no chão, rolando um pouco, mas não se machucando. Raamar houvera sido atirado naquela direção e agora caía imóvel na terra, porém como um cachorro em dias quentes, a terra se acolhia (ou Gaia) e em um buraco, ele conseguia descansar, porém seus músculos estavam deveras fatigados e mesmo piscar lhe era pesado. Sentia o corpo se tornando pesado demais para obedecer seus comandos e mesmo que o fizessem, ele ainda sentiria como se pesos fossem acoplados nele e os movimentos eram tardios ou inexistentes. Não mais havia energia sequer para fazer coisa alguma.

Kyoko estava deitada ao seu lado e sentia o estômago vazio se revoltar, mas não havendo mais coisa alguma para ser colocada para fora, apenas sentiu uma pressão na garganta (gases) e talvez um gosto ruim, assim como uma dor do movimento involuntário de seu interior, porém agora tinha mais segurança para se manter de pé sem assistência de algo sólido.

Uma risada enfim tinha início. Era fraca, mas logo se intensificava e Isaack Gregório, deitado no gramado, sentava-se e olhava para a dupla no chão. Recolhia o chicote na mão, deixando cair uma pequena porção, básico de suas técnicas sonoras.


- Raamar... Você simplesmente jamais daria certo ao lado de Mondor. Não entenda errado, eu jamais tentaria moldá-lo ou aquela palavra proibida para sua raça... "Domá-lo". Eu teria matado-o o quanto antes. Bonny não é tão especial assim, mas acho que nosso Pai a vê como uma substituta para a sua mulher morta... Ah... Saudades tomar alguns drinks com Valéria... Vocês se conhecem? É claro que se conhecem... Dou uma dica: Tenham seus amigos próximos, saibam quem eles são e mesmo em uma organização grande como a Marinha, Governo Mundial, máfia... Saibam com quem contar, pois mesmo sua equipe pode lhe ver como descartável. Um homem não sobe sozinho e não é pisando em alguém que o fará... - Ele ia abrir a boca, porém uma explosão colossal o fizera fechar os olhos e mesmo Raamar e Kyoko sentiram o calor dela e sua onda de impacto empurrou seus cabelos para trás que mesmo suas raízes doíam.

Momentos antes...


- Não vamos conseguir, Isaack! Você precisa de ajuda médica! - O mágico era teimoso e Pinkerton já estava pronto para atirar, então ao invés de argumentar, Bonny já iniciou sua parte, em que o ruivo atirou uma granada contra o inimigo e incrivelmente, o grandalhão não se movimentou muito, apenas se jogou o mais longe que pôde.

Bateram ambos de costas no chão e o ruivo usou Tenkai para reforçar seu corpo e não sentir a dor do impacto. Tinham poucos segundos antes que a bomba explodisse, logo Bonifácio virou o corpo e impulsionou seu Soru junto do de Isaack e ambos jogaram-se sobre o corpo caído de Pinkerton, onde ele ergueu sua arma e engatilhou o lança-granadas, recebendo diversas doses de pólvora e uma bomba caseira sobre si.


- Se eu for, vocês vem comigo!

Um enorme clarão tinha ocorrência por ali e Isaack ficava cego, sentiu o gosto turvo da pólvora preencher-lhe a boca, as narinas ficaram cheias de fumaça, obstruindo o oxigênio, que mesmo que pudesse respirar, ainda sentiria falta de ar, pois todo o gás era usado para queimar naquela explosão.

A granada explodiu, gerando um impacto mediano e logo fazendo entrar em combustão o mafioso, que pela proximidade da bomba caseira em conjunto do colete de granadas e projéteis, assim como aqueles que já estavam juntos na arma, fez com que as dimensões fossem muito maiores. Os fogos se ergueram até acima da mansão e rodopiou no ar como um vulcão entrando em erupção. Ainda era dia, mas mesmo assim a claridade fora superior a do Sol, que parecia ter se amedrontado e ido para trás de uma nuvem. Como um alquimista (e não um químico), Isaack houvera transmutado alguns componentes em uma entidade de fogo que brilhou e consumiu, tão logo se dispersou, deixando um rastro de destruição.

O chão ainda queimava e tinha um odor horrendo dos produtos químicos usados, Pinkerton estava com o corpo cremado contra uma pequena cratera. Bonny houvera se separado de Isaack e estava jogado sem a sua camisa e suas calças viraram uma bermuda suja e rasgada, ainda tinha as mangas, mas nada mais de tecido na parte de cima. Isaack, houvera caído um pouco longe dele, sendo jogado no gramado e apagado pela falta de sangue e pelo impacto.

No momento...


[color=purple] - Guillerme terminava de escalar a janela, com alguma queimaduras no rosto, nariz levemente torto e um olho com sangue. Sua expressão poderia ser chamada de assustadora, seus dentes estavam arreganhados enquanto a testa estava franzida. Ele olhava com muito ódio para Raamar, que não mais conseguia se mover.

- Guillerme! Receio estar, porém não por minha vontade... Venha, junte-se a nós. Mostre-os suas habilidades de multiplicação de peso. - Como se houvesse um cálice em suas mãos, Isaack se levantava e recomeçava a tremer seu chicote, dando indícios que concluiria sua técnica "Plastic Bubble". Em todo momento ele tinha um sorriso debochado no rosto, mesmo que um de seus olhos estivesse chorando sangue. Não era do tipo arrogante, parecia não realmente se importar com o resultado do combate, dava a imagem de descaso e se divertia com isso.

- Escavador! - "Arpão" era quando ele ia reto, "Broca" quando se jogava girando, mas Escavador era justo quando ele tinha a vantagem de cima para baixo, somando a força centrífuga com a gravitacional. Seu peso corpóreo era mínimo e o permitia gerar velocidade fácil, mas o peso de seu colete era o que favorecia o impacto e pela descida, ele multiplicava tal. O impacto contra Kyoko e Raamar seria fatal.

Pelo pátio, Vicenzo agora abria os olhos com uma máscara no rosto, sentindo o oxigênio enchendo-o de maneira até que gostosa, mas sentindo falta do álcool mais do que nunca. Estava em uma espécie de maca improvisada com algo o protegendo das chamas ao arredor.

Bonifácio estava sentado ao lado dele, o cabelo preso em um rabo de cavalo que favoreciam sua aparência feminina, mostrando sua magreza delicada enquanto tinha um semblante fragilizado e preocupado. Ele segurava uma máscara para si.
Era notável que ele não estava em seu melhor estado após a explosão, pois apesar de ter usado suas técnicas com maestria e seguido o plano à risca, ainda assim ele mostrava sinais de queimaduras pelo corpo e tinha bandagens que lhe recobriam o peitoral magro (ou os seios).


- Você está me ouvindo? - Klaus dizia preocupado enquanto prestava socorro a Isaack, que poderia até tossir pela quantidade de ar que lhe era introduzida. - Estou aqui. Seu braço está... Não vou mentir, está feio. Mas creio que se você conseguir não machucá-lo, ficará bem. Você perdeu muito sangue, eu saturei e fiz uma bandagem por cima. Precisamos chegar ao porto. - Sua voz era calma, mesmo que rápida por tudo que ele cuidava ao mesmo tempo (manter a máscara de oxigênio calibrada, permanecer os sinais vitais saudáveis e não super dosar). O braço do mágico estava cheio de uma espécie de bandagem gorda que lhe preenchia os locais abertos, não deixando que o sangue escorresse e mesmo que estivessem em contato direto com as feridas, eles não doíam, tendo propriedades medicinais em sua composição. Ele estava coberto em sangue e protegia o corpo de Vicenzo com suas asas, prostradas acima dele e abertas, não permitindo rajadas de ar quente ou fumaças, queria apenas que ele descansasse e escolhesse qual seria sua próxima ação: recuar e se recuperar ou permanecer e salvar?


This post has been edited by Angelique: Nov 16 2017, 01:23 AM
mp
^
Kyoko
 Posted: Nov 17 2017, 09:25 AM
citar


Kyoko




151 posts

Ficha

Kyoko is Offline

Agente do Governo






ATO 3 - A Guerra das Sombras


Meu ouvido continuava a pulsar e tudo parecia diferente ao meu redor, meio deformado. A pior parte era a sensação de que nada estava parado. Nunca fiquei tão feliz por ter treinado até dominar essa técnica em área, pois sem ela não teria confiança de acertar Isaack, no fim não consegui ver ao certo o quanto de dano causei com meu ataque, porém já estava feliz por ter bloqueado a técnica dele, ou ao menos foi o que pensei, até ser atingida em cheio e sair rolando pelo chão.

Meu coração imediatamente disparou, como se tivesse prevendo a dor que viria em seguida. "Será que vou ficar surda de vez?" - Assim que tive uma chance finquei minhas unhas na terra, sem me importar com o tempo que eu gastaria depois para arrumar elas, só não queria dar outra chance para Isaack me prender. Meu estomago se revirou completamente com o movimento, já não sabia mais se era ânsia ou gases por ter vomitado mais cedo, porém quando consegui erguer minha cabeça e ver o que, ou melhor quem, havia me acertado meus olhos se encheram de lágrimas. -Raaaamaaar!! - Me aproximei dele, mesmo cometendo o erro de ignorar um oponente no meio da luta.



Seu corpo estava todo machucado, sua pelagem toda emaranhada, quase não se movia, mas ao encostar a mão em seu peito conseguia sentir um leve subir e descer. Meu coração se encheu de alívio por ver o Gatito ainda vivo.



Preocupada com seu estado, me lembrei de um panetone que recebi de presente um bom tempo atrás, que me falaram que tinha propriedades mágicas de cura, sem pensar duas vezes o parti em pedaços e coloquei em sua boca, forçando-o a engolir, se tivesse um pouco de água comigo despejaria na boca dele também, pouco a pouco e fechando seu nariz para forçar o corpo a engolir aquilo tudo. Não tinha mais nada que eu pudesse fazer naquele momento, ao menos nada além de garantir sua segurança, o alívio que senti ao vê-lo logo começou a ser substituído por raiva, tanto pela situação do Gatito quanto pela risada que começava fraca ali perto e então ia aumentando de volume. Apertei com força meu chicote. "Se o Gatito aguentou sozinho contra esses caras durante todo esse tempo, o mínimo que eu posso fazer é derrotar esse cara para que ele tenha um pouco de paz." - Levantei com calma, porém quando percebi que já não precisava mais me apoiar em algo para levantar fiquei um pouco mais confiante.



Me coloquei entre Raamar e Isaack e encarei de frente o discurso dele, mesmo não sendo direcionado para mim. -Você está errado!!!! Se não consegue confiar em ninguém, então é porque escolheu as pessoas erradas para ter ao seu lado. Raamar tem a mim e ao Isaack, e assim como provamos hoje, iremos trazer o inferno aqui para a terra se alguém ousar fazer mal a ele! - Por sorte eu havia lido muitos livros de aventura e guerra e isso me deu confiança para fazer uma réplica a Isaack. Estalei com firmeza meu chicote no chão ao meu lado, apenas para aquecer os músculos de meu pulso. -Você ficou falando mais cedo sobre caudas de gato..... Meu Gatito só tem uma cauda, mas que vai fazer você se arrepender de ter entrado em nosso caminho!

Já estava pronta para lançar mais uma vez meu ataque contra Isaack, porém assim que avancei com meu pé esquerdo senti uma enorme explosão e tive que usar ambos os meus braços para proteger meu rosto da onda de calor que me açoitou. Depois que aquela onda passou, olhei rapidamente para Raamar, para conferir se ele tinha sido afetado pela explosão, mas como estava aninhado em um buraco na terra, parecia ter escapado do pior.



Me voltei para Isaack novamente. "Está na hora de mais um blefe para assustá-lo!" - Arrumei minha postura e rapidamente passei a mão por meu cabelo, jogando-o para trás, a típica pose que eu fazia quando queria parecer esnobe e superior a alguém. -Essa explosão de agora? Foi obra do nosso Isaack. Nesse tempo que te mantive aqui, ele conseguiu finalizar o plano que eliminaria todo o resto de vocês, você nunca devia ter saído do lado de seu chefe, agora está completamente sozinho! - Não me permiti ter compaixão por aquela pessoa, pois diretamente ou indiretamente ele estava envolvido a toda a dor que Raamar sofreu.

Como se uma irônica brincadeira do destino, um dos companheiros de Isaack saia de uma das janelas da mansão. "Deve ter sido ele que jogou o Gatito aqui para fora!" - Isaack e este novo adversário, que parecia se chamar Guillerme, começavam a combinar um ataque, mas no estado que eu estava já não sentia mais medo, talvez fosse raiva, ou talvez só tivesse perdido de vez o juízo, porém a forma demoníaca que esse Guillerme olhava para Raamar me tirava do sério.

Quando vi ele saltando da janela para atingir principalmente Raamar não consegui mais aguentar. Antes que ele ganhasse velocidade demais lancei meu chicote impulsionado pela minha técnica Anger Wipe em sua direção, porém não para matá-lo ou pará-lo, mas sim para prender o chicote nele com força.



Se conseguisse iria girar meu corpo com toda minha força para mudar a trajetória dele para colidir diretamente com Isaack, fazendo um matar o outro com suas próprias técnicas. Confiava em minha memória impecável para determinar a posição de Isaack em relação a mim e a Guillerme, assim como a trajetória necessária. Se percebesse que minha força não seria o suficiente, e tivesse tempo, iria utilizar uma árvore como polia para ampliar minha força e fazer minha tática dar certo.
Vantagens e Estilo de Luta:

Peculariedades e Aprimoramentos: Perceptivo, Senso de Direção, Memória Expandida, Aceleração, Controle de Multidões, Visão Aguçada, Aparência Agradável, Cartógrafo, Compostura, Olhos de Águia, Bom senso, Linguagem Corporal - Social, Vigilância

Estilo de Combate: Punho de Balrog (10PEs)

Técnicas: Buff (Turno 2); Anger Wipe

Arma: Zweep (+6)

Item: Panetone de Natal (Recupera 20% da vida baseado no PV máximo do personagem.)



@Angelique @Raamar @Isaack
mp
^
Raamar
 Posted: Nov 17 2017, 09:26 AM
citar


Raamar




759 posts

Ficha

Raamar is Offline

Programador




ATO 3 - A Guerra das Sombras


O plano do pequeno bestial não saia exatamente como planejava, porém finalmente deixava aquela mansão, lugar este que ficaria para sempre gravado em suas memórias como uma prisão, como o local onde quase morrera. Quando ultrapassou o limite da janela, não conseguiu conter um sorriso bobo, pois ter saído da mansão era quase como se tivesse vencido pessoalmente Mondor. "A cara dele agora deve estar engraçada!"

O pequeno não pensava muito em como e onde iria aterrissar, até porque já nem tinha mais controle de seus músculos, mesmo sua consciência já lhe abandonava, o fato de estar voado lhe levava a delirar se estava mesmo vivo. Foi a dor que sentiu ao se chocar contra algo que lhe devolveu um pouco a sanidade. O impacto fez a dor de cada músculo retornar, mas nem, mesmo uma palavra conseguiu dizer em frente a isto, apenas um choro bem baixo escapou de sua boca quando tocou finalmente o chão e rolou até atingir um buraco e se aninhar lá.

Sua vista estava completamente desfocada, um pouco marejada. Viu parado em sua frente uma figura ruiva e em sua mente isto não poderia ser mais hirônico. "Agora perto da morte vou começar a delirar?" - Desistiu de tentar manter a consciência e se entregou completamente a sorte, pois se os músculos de seus membros já não lhe obedeciam mais, então restava ao destino decidir se todo o esforço até agora lhe valeria mais alguns anos de vida.

Entrou rapidamente naquele estado de embriaguez causado por exesso de cansaço, mas não teve um sono tranquilo como agora pouco dentro da mansão, tivera pesadelos, como se alguém estivesse tentando lhe matar asfixiado. Tentou se debater mas todo o corpo doia de verdade e mal se mexia.

Caso não tenha sido possível ingerir o panetone, o Raamar apenas tentaria acordar, pegar o DenDen Mushi e atender a ligação, se ainda estivesse tocando, se já tivesse parado, tentaria ligar para Froizer, independente do tempo que levasse para fazer cada mínimo movimento, ou quantas vezes fosse interrompido.

Se o panetone fizesse efeito e recuperasse seu corpo a ponto de conseguir se mover, ficaria deitado mais alguns segundos, até que sua consciência despertasse, talvez no momento que escutasse a voz de Kyoko e percebesse que a cena de mais cedo não fosse um delírio. Tentaria se levantar a ponto de ficar sentado, primeiro só mantendo seu tronco erguido e sentindo os efeitos colaterais deste movimento em seu corpo, se sentisse que aguentaria então abriria os olhos para entender tudo que estava acontecendo. Se visse Kyoko tentando resistir ao ataque em conjunto de Guillerme e Isaack, tentaria forçar seu corpo a se levantar, mesmo que sentisse muita dor em consequência disto. Se manteria quieto tanto para não distrair Kyoko quanto para não alertar os inimigos. Apenas um leve sorriso marcaria sua face, pois a tática que a Ruiva usava era muito parecida com o que Raamar adorava fazer em suas próprias lutas. Antes de se movimentar, tiraria de um compartimento secreto de seu casaco o que um dia já foi um ovo de chocolate, agora todo partido, o que facilitou a ingestão do item. Impulsionou seu corpo com toda a força que tinha, acelerando o máximo que conseguia com Soru para aparecer Em cima de Guillerme e chutá-lo na direção de Isaack, facilitando o trabalho de Kyoko e unindo sua força com a dela para potencializar o dano que os dois inimigos iriam sofrer. Se conseguisse ajudá-la, tentaria amenizar a queda com uma versão mesmo que fraca do Kamie, mas se já tivesse ultrapassado todos os limites de seu corpo e nem os itens pudessem lhe dar forças para isso sequer se importaria em amenizar sua queda, apenas abraçaria a fadiga e deixaria seu corpo ir de encontro ao chão.

Por fim se o panetone fizesse efeito, lhe permitindo se mover, porém ainda assim não fosse o suficiente para utilizar suas técnicas, comeria o ovo para lhe dar um pouco mais de energia e correria para junto de Kyoko, segurando o chicote da garota diretamente na corda e usando toda a força que conseguira com os itens para ajudá-la a completar o movimento que havia planejado. Não gastaria suas esparças energias falando, apenas lançaria a ela seu melhor sorriso de agradecimento, afinal ela havia seguido diretamente para uma armafdilha apenas para salvá-lo. "Tenho que lembrar de agradecer ao Isaack também, o desgraçado com certeza está por aqui também!".
Item:

Nome: Ovo de páscoa tamanho grande (750g)

Bônus: Por 2 turnos após o consumo o personagem recebe +2 em testes de percepção +2 em testes de esquiva e +1 em agilidade (o ovo não pode ser consumido parcialmente).

Black List:

Nome 1: Froizer Skarmor

Nome 2: Richard

Nome 3:

Nome 4:

Nome 5:

Nome 6:

Nome 7:

Nome 8:


@Angelique @Kyoko @Isaack
mp
^
Isaack
 Posted: Yesterday at 10:23 am
citar


Isaack




164 posts

Ficha

Isaack is Offline

Agente do Governo




ATO 3 - A Guerra das Sombras


Vicenzo parecia ter convencido o loiro a seguir suas ordens, por mais que sua patente fosse inferior ao mesmo, naquela situação quem tivesse a melhor ideia seria o líder, e visto que o comandante não demonstrava nenhuma outra opção, optou por fim seguir o comandado.

Isaack tremia, talvez de medo, ou simplesmente por falta de álcool no sangue, este que já pintava a grama em tons rubros. Forçava seu corpo mais uma vez ate o limite e se jogava para trás, apesar de ter demorado apenas segundos para realizar os movimentos, na mente do magico tudo parecia tão devagar, em câmera lenta quase.

Ao ponto que caia em direção ao solo com Bonny ao lado, o químico usava o braço que ainda se movia para arremessar sua cria em direção ao inimigo, o lançamento era simples e subia as céus caindo em seguida. Para a surpresa do ruivo seu carrasco não havia atirado na granada, se limitando a apenas se jogar o mais longe possível, ato este que deu o tempo necessário para a dupla de agentes.

O Soru sincronizado era realizado levando os companheiros a uma posição elevada acima de Pinky. Vicenzo jogava pólvora para baixo e Bonifácio a ultima esperança de ganharem o combate. O adversário por sua vez levantava sua arma e engatilhava o lança-granadas.

Vicenzo não sabia de fato se Pinkerton havia disparado sua granada ou não, o fato era que um enorme clarão se seguia ofuscando sua visão de modo que o cozinheiro fechava os olhos por trás de sua mascara. Levava a mão que ainda se movia a frente do rosto como que por instinto.

Isaack arfava muito, tentando puxar o máximo de oxigênio que conseguia, mas ainda sim sentia falta de ar, e não sabia o que estava acontecendo ao redor, já havia esgotado todo seu corpo, ideias e itens contra o atirador, agora só restava esperar pelo desfecho do combate.

Apesar dos muitos ferimentos, a cegueira parcial e a falta de oxigênio, o de cabelos rubros sentia-se em paz, seu corpo estava leve, quase flutuando, talvez fosse finalmente a hora de se reunir com sua família. Rever sua mão, abraça-la, e se desculpar com seu pai por ter falhado em vingar sua morte. Seu corpo estremecia e a dor de seu braço fazia com que recobrasse a consciência.

"Não, não posso desistir ainda, Raamar esta a nossa espera, não posso parar..."

O químico colocava seu psicológico acima do físico, tentando fazer com que sua fadiga e ferimentos se dobrassem diante a sua vontade de ferro de recuperar seu companheiro. Sabia que Kyoko também estava por perto, e sua situação era desconhecida. O caramujo continuava a ligação para Dixon, e o grandalhão nada respondia a ideia de que seu algoz havia sido derrotado estremecia seus ossos, pois sabia o quão forte era o caolho. Mas isto não era sua preocupação imediata.

-Bonny, agora.

Toda a reflexão do mágico não demorava mais do que alguns segundos, e o loiro como que se obedecendo ao ruivo já havia lançado o projetil, de modo que Isaack apenas ouvia seu estampido quando explodia. Tentava olhar então para baixo e ver a figura do inimigo carbonizado, antes de tentar atenuar sua queda.

Mas como se cobrasse pela sorte que havia dado ao cozinheiro o destino não deixava que ele descansasse em paz. A combustão do corpo de Pinky fazia com que seu coldre cheio da munição do lança granadas explodisse. O fogo elevava-se as alturas consumindo tudo ao redor, ate o astro rei que fornecia luz ao planeta ficava tímido diante o clarão produzido, iniciando o que o químico chamaria posteriormente de “Eclipse Alquímico”, ou “Cometa Vicenzo”, naquele momento o ego do ruivo se inflamava assim como tudo a seu redor de orgulho de sua criação.

Mas seu momento de êxtase era bem curto, de modo que era tragado pela força promovida por sua cria e jogado para longe, a ultima coisa que viu fora o clarão que lhe remetia as lendas de estrelas cadentes que ouvia quando era criança, fazia então um rápido pedido antes de apagar devido ao impacto contra o chão.

"Proteja Kyoko e Rammar"

Issack abria os olhos atordoado, tinha agora ao rosto outro tipo de mascara, esta que lhe fornecia oxigênio, este que era muito bem vindo, mas uma dose de etílico vaporizado em conjunto viria a calhar. Nestes momentos que percebia o quão a bebida era necessária em seu organismo, pois sentia ate dores pela abstinência desta.

-Parece que conseguimos?

O magico falava bem pausadamente e alternava as palavras com tosses, respirando pesadamente. Fitava Klaus cuidando de si, e seus ferimentos. Parecia ser o fim da jornada do ruivo, mas não poderia abandonar o local sem saber de seus companheiros. Tentava se mover, mas não sentia direito seus membros, forçava-se para levantar o braço que ainda respondia.

-Caracol... ligação... Kyoko.

Forçava as palavras tentando se fazer entendido, vendo que o esforço era de mais parava um pouco e tomava folego, tentando reunir forças para de fato prosseguir. Sua vontade no entanto era de se levantar, mas sabia que só atrapalharia agora, já estendeu de mais sua presença no campo de batalha, e julgando o local ao redor já havia feito o suficiente, acabado com o maldito "rosa" e levado a mansão ao julgamento pelo fogo.

-Cartola, traga para mim.

Pedia para Klaus ou Bonny para que trouxessem sua indumentária. Caso seu pedido fosse atendido, tentava coloca-la sobre a cabeça e a ajeitava, por fim reunia suas forças e tentava ficar de pé. Caso conseguisse tirava a marmita do gatito de seu manto e levava a mão, abria a mesma para ver se ainda estava consumível.

-Bonny, fale com Kyoko pelo comunicador e pergunte onde ela esta, ainda precisamos achar Raamar.

-Ele deve estar faminto.


Isaack colocava-se de pé com toda sua alma, pois seu corpo já não aguentaria mais tal esforço, caso conseguisse ainda permanecer de pé e caminhar, esperaria pela ação de Bonifácio de tentar se comunicar com a ruiva, e saber seu paradeiro, olhava ao redor procurando pela mesma entre as chamas ardentes. Caso não conseguisse se levantar apenas consentia com o fato de ser levado ao porto, ainda que contra sua vontade.




Aprimoramentos , Pericias e Profissão:

QUOTE
Aparência Agradável (1PE): Você se veste bem e causa uma boa impressão a membros do mesmo sexo e é considerado atraente pelo sexo oposto. Ter Aparência Agradável também concede um bônus em testes de Lábia, Sedução e outras que envolvam a aparência para conquistar a confiança de outras criaturas. Os efeitos dessa Vantagem não se aplicam às pessoas que, por algum motivo, não gostam do personagem. Não tem a ver com Beleza, e sim o quão atraente consegue se produzir. Não acumula com outras aparências.

Benefício: Interpretativo; Técnicas baseadas na aparência com o efeito "Fascínio" duram 1 turno além do normal.

QUOTE
Vigilância (2PE): Treinamento excessivo fez do seu personagem um “paranoico saudável”, seu senso de perigo fez com que estivesse sempre pronto para o combate. Sempre que for surpreendido ou se iniciar um combate, seu personagem já estará pronto para reagir, seja com punhos ou com arma, e o primeiro ataque sempre terá acerto com chance bonificada.

Benefício: Concede um bônus +2 nos testes de Percepção. Concede um bônus +3 no acerto do primeiro ataque no combate.

QUOTE
Determinação (1PE): O personagem é dotado de uma força de vontade em atingir seu objetivo que é inabalável. Seu objetivo pode até mudar conforme o andar da história, mas nada irá desanimá-lo ou abalar sua fé em atingir sua meta. Qualquer agressão ou ações morais que afetariam o objetivo do personagem só o fazem reafirmar seus objetivos, nunca recuando.

Benefício: Interpretativo; Concede um bônus +1 nas jogadas e testes quando envolve diretamente seu objetivo (Objetivo tem que ser especificado neste Aprimoramento, e deve ser algo direto).

QUOTE
Coragem (1PE): Você é desprovido do medo convencional, tal que em situações críticas, onde a maioria das pessoas fugiriam apavoradas, você continua firme.

Benefício: Reduz em 50% as chances de sofrer o efeito "Amedrontamento".

QUOTE
Tato Aguçado (2PE): O sentido pelo qual o seu personagem tem conhecimento da forma, temperatura, consistência, pressão, estado da superfície e peso dos objetos é amplamente aprimorado.

Benefício:Interpretativo.

QUOTE
Resistência ao álcool (1 PE): Por algum motivo você adquiriu uma resistência maior ao álcool do que pessoas normais, podendo resistir aos efeitos da embriaguez.

Benefício:Quando sofre um ataque de "Embriaguez" o efeito diminui em um nível (mínimo nível 1)

QUOTE
Acrobata (1PE):  Com grande capacidade de movimento, consegue entrar com facilidade em locais de difícil acesso, executar difíceis manobras e realizar acrobacias diversas. 

Benefício:Interpretativo; Concede um bônus +1 nas jogadas de defesa.

QUOTE
Aceleração (1PE/RACIAL): Você é mais ágil que o normal e pode realizar ações e correr mais rápido. Esta Vantagem permite realizar uma tarefa que normalmente tomaria sua movimentação no turno, como recarregar uma arma ou desativar uma bomba, porém ela não permite atacar mais do que o estipulado pelo mestre.

Benefício: Interpretativo; Concede um bônus +4 em Agilidade.

QUOTE
• Tekkai (2PE):Permite que o utilizador consiga deixar seus músculos tão resistentes quanto aço por alguns instantes, podendo anular danos tomados de ataques. Quando o Tekkai está ativo, o usuário é incapaz de se mover.

Bônus: (level)x2 em resistência

Custo: (level)x2

QUOTE
• Soru (2PE):Permite que o utilizador se mova em uma velocidade extremamente alta afim de evitar ataques, e do mesmo modo fazer ataques muito rápidos. É dito que ao utilizar o Soru, o usuário bate os pés 10 vezes no chão em menos de 1 segundo.

Bônus: (level)x1,5 em esquiva/agilidade ou acerto

Custo: (level) x1,5 pontos de energia



@Angelique @Raamar @Kyoko
mp
^
1 User(s) are reading this topic (1 Guests and 0 Anonymous Users)
0 Members:

Pages: (3) 1 2 3 
responder
novo tópico
fazer enquete