Gray Island Bulba RPG :: Topsites Zonkos - [Zks] ::
versão do sistema: 8.1

Profile
Personal Photo

No Photo

Options
Custom Title
DaK doesn't have a custom title currently.
Personal Info
Location: No Information
Born: No Information
Website: No Information
Interests
No Information
Other Information
Atalho 2: No Information
Atalho 3: No Information
Ficha:: No Information
Atalho 1: No Information
Pronome::
Idade: No Information
Alias: No Information
Statistics
Joined: 18-March 15
Status: (Offline)
Last Seen: Yesterday at 04:32 pm
Local Time: Oct 21 2017, 05:13 AM
137 posts (0.1 per day)
( 0.36% of total forum posts )
Contact Information
AIM No Information
Yahoo No Information
GTalk No Information
MSN No Information
SKYPE No Information
Unread Message Message: Click here
Unread Message Email: Private
Signature
View Signature

DaK

Piratas

Topics
Posts
Comments
Friends
My Content
Oct 17 2017, 01:45 PM
Hell finalmente se via livre dos mafiosos e seguia para sua casa, todo cuidado era pouco mas mesmo assim ele resolveu ir para sua casa. Seus pertences estavam ali e precisava de todos eles para poder se sustentar.

Ao adentrar a casa, percebe que tudo estava intacto e nada havia sido alterado do lugar correto, o que o deixava feliz e satisfeito.

# Finalmente está loucura acab... #

Antes que pudesse terminar sua linha de pensamento começa a ouvir barulho nas ruas e se assusta. Por conta da correria não havia percebido que já era quase manhã e as pessoas começavam a levantar para executar suas atividades corriqueiras e ele deveria fazer o mesmo.

Primeiro aproveita essa deixa para descansar um pouco, apesar de ser resistente a noite passada havia consumido muito de si e ele precisava descansar justamente sua mente para que assim pudesse reagir aos novos acontecimentos que viriam.

Ele havia conseguido se livrar de uma mafia, mas não de ambas e isso poderia se trabalhoso, afinal o grupo que restou era nativo e conhecia a ilha como poucos.

Enquanto dormia começava a sonhar.

Era uma noite escura, Hell estava escondido em meio a floresta e várias tropas da marinha o procurava. A busca era realizada por vários batalhões,
mas ao invés dele ficar preocupado, ele se divertia com isso tudo.


Marinheiro: Achamos ele, lá está....

Hell sorria enquanto voltava a correr de forma despreocupada,
como se quisesse ser alcançado. Quando os marinheiros se aproximavam uma série de explosões ocorriam e ele assistia tudo de perto.


-- HaHa, vocês querem me pegar com isso? Terão que fazer melhor para pegar o Capitão Fire Bomb... --

Ele gargalhava alto enquanto voltava a correr, mas em meio a corrida ele era cercado por 4 pessoas que aparentavam ser fortes.

Marinheiro Forte: Agora acabou para você Red Fire Bomb

Hell parava novamente e olhava para eles com desdem, como se tivesse tudo sobre controle.

-- Vocês se superestimam demais, venham e conheçam também o desespero. --

Ele ingeria uma pilula que fazia com que seus olhos ficassem completamente brancos, seu cabelo ficasse escuro e sua musculatura ficasse maior,
dando a ele uma aparência aterradora. Ele também sacava sua espada e disparava 3 pequenas bombas em direção aos inimigos, fazendo-os se afastar.

Mas ele não apenas afastava os 3 inimigos, aproveitava essa oportunidade para atacar o que havia restado e com alguns rápidos golpes consegue vence-lo. Sorrindo novamente ele corta a cabeça do marinheiro e a arremessa para os outros.


-- É assim que querem me vencer? --

Após isso os homens resolvem atacar junto, quando uma explosão ainda maior acontece...

Essa explosão havia feito com que Hell acordasse, sem saber o que acontecia ele se assusta e rapidamente recolhe seus pertences, procura através da janela se esta sendo vigiado e vendo que o barulho havia chamado a atenção de todos, sai rapidamente e procura ir em direção a parte mais afastada da cidade, a parte que praticamente adentra a floresta.
Jun 2 2017, 04:20 PM
Era uma manhã barulhenta na cidade de Akihabara, já eram por volta das 10 da manhã quando um homem ruivo surge nas bordas da cidade trazendo consigo alguns sacos com plantas. Ele parecia cansado e pouco empolgado, porém era mais um dia de trabalho onde finalmente parecia ter conseguido algum progresso.

O nome desse homem era Hellzen, um explorador que ia com frequência para a floresta em busca de materiais que pudessem ser usados, fossem eles minerais ou ervas. Utilizando suas habilidades para produzir pequenas ferramentas e algumas vezes espadas comuns, ele se portava tanto como ferreiro quanto herbalista. A função de herbalista na cidade era pouco utilizada, tendo em vista que seu reino era feito de combatentes, então as coisas tendiam a ser complicadas nesse ramo, mas nada que desanimasse completamente.

Nessa manhã ele passava por meio das ruas da cidade com seu material coletado quando várias pessoas corriam de forma anormal pela cidade. Ele não fazia ideia de o que estava acontecendo, porém o fluxo intenso de pessoas havia feito com que ele derrubasse seus produtos e após ser pisoteado por um grande numero de pessoas, acabou em condições inutilizáveis.

# Malditos... me fizeram perder toda minha produção.

Apesar de não demonstrar muito, ele havia ficado irritado com a correria e principalmente por perder tudo que havia colhido, mas também não havia o porque dele ficar irritado já que não mudaria o fluxo.

Após acalmar sua irritação, o jovem decidiu que iria andar pela cidade e ver o que estava causando tamanho tumulto.

Ao chegar ao Centro da cidade descobre que havia sido apenas um ladrão preso e que por conta de sua força, havia acontecido um combate. As pessoas provavelmente estavam fugindo disso e ele acabou sendo mais um dos prejudicados.

O assaltante estava sendo levado pelos soldados enquanto vários mercadores o xingavam. Hell não era um deles, mas conseguia compreender o motivo de tamanha irritação, a maioria havia tido suas lojas depredadas pelo combate. Assim que o bandido foi levado, ele decidiu voltar a andar e ver se havia algo de interessante pela cidade.

Nada de anormal aparentava estar ocorrendo, então só lhe restou um caminho ir ver se o bar estava aberto. Ao chegar ao bar, lembrava-se que não possuía dinheiro para a bebida e decidiu voltar para o centro.

# Ser pobre é uma merda, não tenho dinheiro para fazer praticamente nada e o lucro que havia conseguido, aquelas criaturas destruíram. #

Ele só pode amaldiçoar em seus pensamentos e bocejar enquanto procurava por algo que fosse interessante pela cidade movimentada.
Nov 17 2015, 06:13 PM
Hell voltava correndo após resgatar Akemi, chegava no momento exato que a tropa estava pronta para partir e a capitã o dava uma olhada brincando que ele estava atrasado. Ele apenas devolve o sorriso.

-- Como disse, não poderia partir sem ela. --

A mulher podia facilmente notar o alivio e a tranquilidade na voz de Hell. Ele demonstrava em sua feição que estava tranquilo e que agora seria muito fácil seguir a viagem. Se lembrava que havia trazido o médico que cuidava de Akemi e aproveitava a oportunidade para apresenta-lo.

-- Esse é o médico que cuidava do hospital da ilha, ele é o responsável por ela estar viva e creio que poderá nos ajudar na viagem. Ele é muito bom, diga-se de passagem... --

O garoto demonstrava sua gratidão através das palavras e aproveitava para ir subindo ao barco, afinal a garota começava a pesar nos braços dele e ele não permitia que ninguém a pegasse no colo.

Ao adentrarem no barco a capitã pede para que os homens cuidem deles e Hell prontamente os segue fazendo sinal para que Rai venha junto. Ao chegarem na ala médica ele acomoda Akemi e se deita ao lado praticamente acabado.

Ao ver que os médicos começavam o tratamento nela, ele acaba cedendo ao sono e apagando. Em sua mente vinham as mais diversas idéias todas elas logo sendo deixadas de lado por um sonho perturbador.



O céu estava azul e a leve brisa batia no cabelo do jovem. Estava em alto mar quando eis que surgem três desconhecidos, capitão estamos quase chegando ao nosso destino. Ficava intrigado por não saber qual era o destino, mas apenas concordava com a cabeça para recuperar sua noção.

Ao longe era possível avistar uma ilha e ao ver qual ilha era Hell começava a ficar agitado. Não acreditava que estava voltando para sua ilha natal e nem sabia o que acontecia ali, apenas que estava indo para ela. Seus planos para aquela ilha eram um total desconhecido e as pessoas ali com toda certeza o reconheceriam, caso já não tivessem feito isso através de seus cartazes de procurado.

Ao se aproximar finalmente se dirigia a ele um rosto conhecido, era Akemi. Não mais aquela garota de quando estavam em Akihabara mas sim um mulher muito bonita e com uma intimidante perna de metal branca. Ela abraçava ele e começava a conversar.

Akemi: Finalmente estamos chegando querido. Essa ilha irá ficar linda envolta por chamas.

Ele parecia por alguns momentos não acreditar nas palavras dela e não apoiava a ideia.

-- Para que estamos voltando aqui? Não preciso de nada que existe nessa ilha. Já tenho você e isso resolve muitas coisas... --

Suas palavras pareciam perturbar Akemi e ela sorria sem entender o motivo dele recusar a vingança. Porém antes que ela pudesse responder eis que aparecem atrás dela Rai, Raduquem e Lukima prontos para um combate de longa escala.

O navio chegava bem próximo quando a bandeira estendida fazia com que todos no porto começassem a fugir desesperadamente, uma caveira branca com uma imensa monocelha vermelha sobre os olhos, exatamente como Hell possuía.

Após mais alguns segundos ele podia entender o porque das pessoas fugirem, sua tripulação abria fogo contra a ilha matando todos sem distinção. Ele tentava gritar, mas usa voz não saia e por fim acabava por desmaiar.




Ele começava a se debater e após algumas pancadas caia da cama. O médico ao seu lado o olhava e perguntava se estava tudo ok, coisa que ele respondia com um leve aceno de cabeça, aproveitando para ver o estado de Akemi.

Voltava a se deitar e tentava voltar a dormir, uma missão que ele sabia que não conseguiria cumprir. Sua cabeça agitada o fazia sair da ala médica por alguns minutos, indo até o convés pegar um ar, mas não antes ver se Rai estava bem. Ficava ali debruçado sobre a borda do navio enquanto via o mar e tentava esquecer o pesadelo que havia passado.
Mar 18 2015, 12:31 PM
Era uma manhã confortável, as pessoas provavelmente estariam acordando a esse horário para seguir com suas vidas, porém isso não é o que Hell procurava. Ele abria os olhos com imensa preguiça e poucos minutos depois voltava a pegar no sono.

Voltava a cochilar, mas antes que pudesse dormir de verdade eis que uma garota surge o chamando. Ela batia na porta já gritando, fazendo com que ele resmungasse.

-- Sério Akemi... me deixa dormir caramba. --

Após alguns segundos resmungando, coloca sua roupa e abre a porta para a garota. Ela entra já correndo irritada.

Akemi: Tá me achando com cara de idiota. Porque demora tanto para abrir a porta.

-- Sério, não me enche tanto. Ainda está cedo e eu quero dormir caramba. --

Akemi: O vovô está te chamando e bora logo. Sem desculpas e muito menos enrolação. Coloca sua camisa logo e vamos.

Hell não fazia a menor questão de ser educado, porém parecia que Akemi gostava disso, pois assim também podia se ver livre dos bons costumes. Ela já havia se acostumado a ver o rapaz a vontade em sua casa, então esperava ali mesmo.

Ele mesmo irritado sabia que deveria obedecer, então ia tomar banho e arrumar suas coisas. Após alguns minutos e muita gritaria para que fosse rápido, ele sai pronto.

Abria a janela e o vento fazia seus cabelos vermelhos se levantarem. Akemi logo o dava um belo tapa nas costas e terminava de o empurrar janela a fora, pulando logo em seguida.

-- Você sempre sutil como um elefante. --

Akemi: E você sempre rápido como uma lesma. Agradeça por ter sido treinado e não ter esfolado a cara no chão.

Realmente, Hell tinha muito a agradecer ao Avô de Akemi que era quem o tinha treinado. Ele havia o ensinado a lutar com sua Alfanje, já que a adaptação dele com Katanas e Wakizashis não havia sido produtiva.

Enquanto andavam Akemi parecia cuidar de tudo que circulava Hell e ele aproveitava para andar apoiado nela. Sabia que ela detestava isso, mas em publico ela era muito mais carinhosa e educada.

Após alguns minutos chegavam à casa do Avô dela, porém nada de ver ninguém. Mesmo sem entender ele entrava e seguia em frente, Akemi o acompanhava com mais cautela, mas ambos avançavam. Quando chegava na porta do dojo, eis que o portal explode e joga ele longe.

Akemi e o Avô aproveitam para cair na risada com o aprendiz descuidado e agora queimado.

-- Caramba velho... Cê tá de sacanagem comigo? --

Avô: Até hoje você não aprendeu a verificar se o caminho é seguro... Abre os olhos animal.

-- Caramba velho... Você é mesmo zureta. Porque me fez vir aqui hoje cedo? --

Avô: Para nada, só queria fazer você e a Akemi acordarem cedo e caminharem.

Ele olhava para a garota que ficava com cara de quem não sabia de nada também e abaixava a cabeça. Era melhor fazer isso, muito melhor que xingar o velho e a garota. Aproveitava que já estava acordado mesmo e saia agora em direção ao centro para ver o movimento.

-- Akemi vamo nessa. O velho já fez o favor de ferrar nosso sono mesmo. --

Se despedia do senhor e ia em direção ao centro da cidade, procurando algo a fazer.
Last Visitors


Oct 17 2017, 01:45 PM




Oct 4 2017, 11:34 AM




Oct 4 2017, 09:32 AM



Comments
No comments posted.
Add Comment